Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

PESQUISA

Maioria da população não confia nas declarações de Bolsonaro, diz Datafolha

Publicado em: 17/09/2021 15:39

 (foto: Reprodução)
foto: Reprodução
A maioria da população desconfia sempre das declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha. O resultado do levantamento mostra que 57% dos entrevistados dizem nunca confiar no que é dito por ele, contra 15% que afirmaram sempre confiar. Já 28% responderam que às vezes confiam.
 
Foram ouvidas 3.667 pessoas, presencialmente, em todo o Brasil, entre 13 e 15 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

O índice de desconfiança em relação às declarações do presidente, numericamente, é o mais alto registrado pelo instituto neste mandato.

A descrença em relação às falas é maior entre as mulheres do que entre os homens - 61% a 52% - e entre entrevistados que vivem no Nordeste - 66%.

Porém, a taxa negativa cai entre os entrevistados com renda mais alta. Para aqueles que têm renda familiar de cinco a dez salários mínimos, o índice fica em 48%. Já os com renda familiar superior a dez salários mínimos que sempre confiam nas declarações somam 26%.

Entre os eleitores que afirmam votar pela reeleição de Bolsonaro em 2022, a taxa de confiança atinge 50% ou mais, dependendo do cenário eleitoral pesquisado.

Um dos segmentos que menos acreditam na veracidade das declarações do presidente é o que vê "muita chance" de um golpe de estado no país. Entre esses entrevistados, a desconfiança no que é dito por Bolsonaro chega a 85%.

Números crescentes e declarações polêmicas

Segundo o instituto, na pesquisa anterior, feita em julho, a taxa de desconfiança estava em 55%. Em maio, o índice era de 50%. A alta é observada desde dezembro passado, quando a resposta "às vezes" chegou a superar numericamente o índice negativo - 39% a 37% na ocasião.

Desde o último levantamento, Bolsonaro aumentou as declarações com teor golpistas e de ataque a outros poderes.

O presidente já deu declarações contrárias à vacinação contra Covid-19, fez críticas aos parceiros comerciais do Brasil, além de se posicionar contra o sistema eletrônico de votação.

Durante uma das lives semanais, no fim de julho, ao lado de um militar apresentado apenas como "analista de inteligência", o presidente apresentou o que chamava de provas de fraudes nas eleições.

Mas, as alegações eram apenas teorias que circulam há anos na internet sobre as urnas eletrônicas e que foram desmentidas pelo TSE.

Depois da derrota da proposta do voto impresso na Câmara, em 10 de agosto, Bolsonaro voltou sua mira contra o Supremo Tribunal Federal, em especial com críticas aos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morreu James Michael Tyler, o Gunther de Friends
Manhã na Clube: entrevistas com Alberes Lopes, Antônio César Cruz e Almir Reis
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Grupo Diario de Pernambuco