Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

MINISTRO

'Não há problema em mudar de opinião', diz Ciro em posse na Casa Civil

Publicado em: 04/08/2021 18:41

 (Ministro apoiou os ex-presidentes Lula e Dilma, e chegou a chamar Bolsonaro de fascista, mas diz que "mudar de opinião não é contradição desde que seja para melhor". Foto: Marcos Corrêa/PR
)
Ministro apoiou os ex-presidentes Lula e Dilma, e chegou a chamar Bolsonaro de fascista, mas diz que "mudar de opinião não é contradição desde que seja para melhor". Foto: Marcos Corrêa/PR
O senador Ciro Nogueira (PP-PI) tomou posse como ministro da Casa Civil nesta quarta-feira (4), em uma cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Durante o seu discurso, ele rebateu as críticas que tem sofrido pelo fato de, no passado, ter sido defensor dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, e também por já ter dito que o presidente Jair Bolsonaro “tem um caráter fascista” e é “muito preconceituoso”.

“Não há problema em mudar de opinião. Mudar de opinião não é contradição desde que seja para melhor”, afirmou Ciro. Em novembro de 2017, durante entrevista à TV Meio Norte, Ciro disse que Lula foi “o melhor presidente da história desse país” e reclamou do caráter armamentista de Bolsonaro.

“É muito fácil você ir para a televisão e dizer que vai matar bandido, é muito fácil, mas isso não é para um presidente da República. O presidente da República é uma pessoa que vai cuidar de gerar emprego e renda, que vai cuidar da saúde, vai cuidar da infraestrutura, do saneamento. Eu conheço o Bolsonaro. Ele não tem essa capacidade de fazer isso”, ponderou à época.

Pacificação
Durante a solenidade de posse, o ministro disse também que quer ser um “amortecedor” dentro do governo, a fim de que ele amenize o relacionamento entre Executivo e Legislativo.

“Nesse momento de tantas trepidações, quero contribuir tal aquele equipamento que pode estabilizar, diminuir tensões, ajudar para que essa viagem seja mais serena, estável e confortável para todos. O meu nome é temperança e o sobrenome tem que ser equilíbrio”, declarou Ciro.

O ministro ainda comentou que seria mais fácil ter recusado o convite de Bolsonaro para chefiar a Casa Civil, mas que se tivesse feito isso, teria tomado uma decisão equivocada. “Não teria sido mais certo, com certeza. Tive a honra de aceitar o convite para assumir a Casa Civil nesse momento incerto em que nosso país vive porque isto é o mais certo. Nós vamos ajudar o Brasil a dar sinais certos para onde estamos indo”, destacou.

“Presidente, todos sabemos o quanto é difícil, mas tenho certeza que, sob sua liderança, vamos fazer o que é certo. Muito que já está sendo feito é o certo, e no momento certo haverá a compreensão cada vez mais correta por parte dos brasileiros de tudo o que o governo está fazendo atualmente. Ao final, a história irá mostrar que o certo sempre será o certo, o certo será reconhecido, será aclamado”, completou Ciro.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: deputado estadual Diogo Moraes (PSB) e o cardiologista Marco Antônio Alves
Consumo de carne de cachorro sob reavaliação na Coreia do Sul
Manhã na clube: entrevistas com Mendonça Filho (DEM), Vitor Moura e Jailson Silva
Combate à gordofobia vira lei no Recife
Grupo Diario de Pernambuco