Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

LUTO

Cantor Augusto César morre aos 61 anos, no Recife

Publicado em: 21/04/2021 09:00 | Atualizado em: 21/04/2021 18:53

 (Foto: NPA Produções/Divulgação
)
Foto: NPA Produções/Divulgação

O cantor e compositor pernambucano Augusto César morreu na noite dessa terça-feira (20), no Recife. O artista tinha 61 anos e estava internado no Hospital Hapvida da Caxangá, na Zona Oeste da capital pernambucana. De acordo com a família, a morte do artista foi causada por uma insuficiência renal, agravada pelo quadro de diabetes e também por complicações da Covid-19. Augusto deixa quatro filhos e dois netos. O sepultamento do cantor está marcado para às 17h desta quarta-feira (21), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, apenas para a família.


Após passar mal em casa, o artista foi levado a uma unidade de saúde, mas depois encaminhado ao Hapvida da Caxangá, na segunda-feira (20), onde estava internado. De acordo com informações da equipe do cantor, o quadro de diabates de Augusto César estava descontrolado. Ele chegou inconsciente ao hospital e foi encaminhado para a ala semi-intensiva.
O cantor sofria de problemas renais e convivia com o diabetes há mais de 10 anos. Segundo os familiares, ele também recebeu diagnóstico positivo para a Covid-19. Por conta do novo coronavírus, o artista também chegou a ter insuficiência respiratória, o que teria agravado seu estado de saúde.

Na noite dessa terça, a equipe de Augusto César confirmou o diagnóstico do cantor para a Covid-19. "Augusto tem diabetes e foi confirmado para a Covid-19, causando comprometimento dos rins". Até aquele momento, segundo a equipe, o quadro do artista era estável. No mesmo dia, no entanto, o cantor teve várias paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. Ainda de acordo com a equipe, o artista disparou "Estou indo fazer o show", sendo essas suas últimas palavras antes de partir.

Augusto César participaria de uma live ao lado dos cantores Condinho, André Viana e Mitó Labaredas em homenagem ao Dia das Mães, comemorado no próximo dia 12 de maio e, segundo informado pela equipe de trabalho, aguardava ansioso o momento da vacinação. "Ele estava confiante em relação à vacina. Queria se vacinar, falava muito que esse momento (de pandemia) iria passar".

A morte de Augusto César foi confirmada à equipe por volta das 2h da madrugada. Ele deixa quatro filhos e dois netos. O enterro do cantor, restrito a familiares, aconteceu às 17h desta quarta, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana.


Trajetória
Com 35 anos de trajetória na música, Augusto César era conhecido pelo carisma que esbanjava nas ruas. A voz marcante que deu vida a sucessos no brega romântico, como "Ela vai ter que decidir", "Como posso te esquecer", "Escalada" e "Amor de Verdade", era reconhecida por onde passava. "Virei um artista popular e era tudo o que eu queria. O artista tem que estar onde o povo está", disse em outra ocasião, em entrevista ao Diario.

Augusto César deu o pontapé na carreira artística em 1985, mas o primeiro disco veio repercutir somente no ano seguinte. Ao longo da trajetória de três décadas e meia, o artista chegou a fazer quase 30 shows por mês, mas foi alvo das consequências da pirataria e sofreu prejuízos. A saída foi desenvolver um método de divulgação próprio e que o aproximou ainda mais do público.

Ele passou a circular por ruas de grande movimento do Recife e da Região Metropolitana para vender pessoalmente seus produtos, distribuídos na discografia composta por 17 CDs, 2 DVDs, 5 LPs e um compacto. Foi a oportunidade perfeita de interagir com os fãs no cotidiano, consolidando ainda mais o imaginário social sobre a importante contribuição deixada à música romântica do estado.


Homenagens
O governador Paulo Câmara (PSB) prestou solidariedade a familiares e amigos. “Quero expressar meu pesar pelo falecimento do cantor Augusto César, um artista querido pelos pernambucanos e intérprete de canções românticas marcantes. Augusto César faleceu em decorrência de complicações da Covid-19, na noite desta terça-feira no Recife, onde estava internado. Minha solidariedade à família, amigos e admiradores".

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), também lamentou o falecimento do cantor. "É com pesar que recebo a notícia do falecimento do cantor e compositor Augusto César, um ícone da música romântica e popular que faz parte da memória afetiva do povo recifense, de quem sempre foi próximo, ao longo de uma carreira repleta de sucessos. Estendo à família minha solidariedade e meus votos de força nesse momento de dor".


Quem também se pronunciou diante do falecimento do cantor foi o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros. “Foi com muita tristeza que tomei conhecimento da morte do meu amigo cantor Augusto César. Eu sou admirador do seu trabalho, frequentei muitos dos seus shows nas casas de festa do Recife e testemunhei sua alegria pela música brega, pelo romantismo que encantou tantas gerações. Pela sua humildade e talento, Augusto César certamente ficará guardado nos corações de muitos pernambucanos e pernambucanas. Em nome da Assembleia Legislativa, manifestamos nossos profundos sentimentos por essa perda. Que Deus possa recebê-lo em seus braços, além de confortar a todos os familiares e amigos.”


O artista também era um ilustre torcedor do Santa Cruz, e fazia questão de externar o amor pelo clube do povo. Nas redes sociais, o clube coral prestou condolências aos familiares e amigos pela perda. "Nesse momento de tanta dor e tristeza, nos solidarizamos com sua família e amigos".

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
ONU pede  investigação independente sobre chacina no Rio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 07/05
Teich vincula renúncia à pressão de Bolsonaro para usar cloroquina
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 06/05
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco