Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

PANDEMIA

Variante mais transmissível cresce no Brasil, diz Imperial College

Publicado em: 02/03/2021 17:23

 (Estudo britânico aponta que a variante brasileira do vírus da Covid-19 pode ser mais resistente à resposta imunológica, além de ser mais facilmente transmitida. Foto: AFP / TARSO SARRAF)
Estudo britânico aponta que a variante brasileira do vírus da Covid-19 pode ser mais resistente à resposta imunológica, além de ser mais facilmente transmitida. Foto: AFP / TARSO SARRAF
Estudo feito pela universidade britânica Imperial College de Londres mostra que a taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil teve uma alta expressiva. O documento aponta que a variante brasileira gerou uma segunda onda de infecções mesmo em uma região duramente atingida pela primeira onda de contágio do novo coronavírus. Levantamento divulgado nesta terça-feira (2) compara os dados recolhidos pelo instituto na semana passada, em uma parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

O estudo cita a variante de Manaus, chamada de linhagem P.1, e diz que análises estatísticas do genoma sugerem que, provavelmente, a linhagem tem circulado na região do estado do Amazonas desde novembro. Além disso, o documento afirma que a variante já foi identificada em mais de 20 países, incluindo o Reino Unido.

A nova linhagem é citada como sendo uma “Variante de Preocupação”. Um dos fatores dessa variante são as várias mudanças genéticas que os pesquisadores já identificaram na P.1. Até agora, foram 17 mutações genéticas, incluindo um trio na proteína spike, que é associada ao aumento da ligação do vírus à célula humana.

Mais transmissível e evasiva
O estudo aponta que essa linhagem do vírus cresce rapidamente pelo Brasil e é provavelmente mais transmissível, podendo ter a habilidade de escapar da imunidade protetora. “Os pesquisadores estimam que a P.1 é entre 1,4 e 2,2 vezes mais transmissível que linhagens de não Variantes de Preocupação. Além disso, eles estimam que a P.1 evita de 25% a 61% da imunidade protetora decorrente da infecção de variantes precedentes. A relação exata entre o aumento da transmissibilidade e a evasão da imunidade não é conhecida atualmente”, descreve o documento.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Posse e compra de armas de fogo geram polêmica entre autoridades e população
Liberdade de imprensa piora no Brasil de Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/04
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco