Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Síndrome de Haff

Em Pernambuco, Conselho de Veterinária alerta sobre consumo de peixes após casos de doença rara

Publicado em: 25/02/2021 16:14

 (Foto: CRMVPE/Divulgação)
Foto: CRMVPE/Divulgação

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE), divulgou, nesta quinta-feira (25), um comunicado sobre os cuidados com os pescados, após caso confirmado de Doença de Haff (Doença da Urina Preta) no estado. Conforme o órgão, a procedência, conservação, o transporte e o armazenamento dos pescados são de suma importância para evitar riscos à saúde devido à elevada perecibilidade dos produtos.

De acordo com a médica veterinária e especialista em Engenharia de Sistema de Gestão de Segurança dos Alimentos, Ana Magna de Carvalho, uma atenção especial deve ser dada à temperatura. “Os peixes frescos devem estar em torno de 0ºC, já o peixe congelado em -18ºC, respeitando essa cadeia de frio desde o momento da captura nos barcos até a comercialização, com inspeção de profissional capacitado”, explicou.

Paralelo a isso, a médica veterinária, que também faz parte da Comissão de Alimentos do Conselho de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE), ressalta que a principal linha de pesquisa para explicar a Doença de Haff está associada a biotoxinas produzidas por microalgas e consumidas por peixes salgados e doces, as quais podem se acumular nos seus órgãos e tecidos e serem transmitidas às pessoas pela cadeia alimentar.

“Apesar disso, não se sabe, ainda, qual a toxina responsável pela intoxicação, mas acredita-se que faça parte do grupo das Palytoxinas, sendo necessário mais pesquisas na área”, disse.  A profissional ressaltou, entretanto, que é de conhecimento que a toxina resiste a altas temperaturas e não altera as características sensoriais dos produtos (cor, odor, gosto, textura), o que aumenta o risco para os consumidores. No caso da Doença de Haff, existem relatos da ocorrência em várias regiões da Europa e EUA também.

A especialista ainda confirmou que no Brasil há poucos dados e baixa notificação sobre estes casos, mas é necessário tomar os devidos cuidados de maneira geral. “Para diminuir riscos, é importante que o consumidor adquira pescados de fornecedores que tenham conhecimento dos locais próprios para a pesca, que respeitem a legislação pesqueira e sanitária e, no caso de peixes, crustáceos e moluscos de cativeiro, adquirir somente de empresas registradas no serviço de inspeção, seja ele federal (SIF), estadual (SIE) ou municipal (SIM).

Alerta
Após consumirem peixe da espécie popularmente conhecida como Arabaiana e passarem mal, duas moradoras dp Recife foram internadas e diagnosticadas com a Doença de Haff ("Doença da Urina Preta”). A situação acendeu um alerta sobre os cuidados com os pescados (peixes, crustáceos, moluscos), sobretudo no atual período de Quaresma.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 19/04
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Resumo da semana: STF mantém anulações de sentenças contra Lula, mais jovens em UTIs e CPI da Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco