Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

LAUDO FINAL

Acidente que matou Boechat ocorreu por falha de manutenção, diz FAB

Publicado em: 29/10/2020 22:40

 (Foto: Band/ Reprodução)
Foto: Band/ Reprodução
A queda do helicóptero que matou o jornalista Ricardo Boechat, em fevereiro de 2019, foi provocada por uma série de falhas de manutenção. A conclusão é de um relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Área Brasileira (FAB), divulgado nesta quinta-feira (29/10).

O acidente ocorreu em 11 de fevereiro de 2019 na Rodovia Anhanguera, no Rodoanel, em São Paulo. Além de Boechat, também morreu o piloto Ronaldo Quattrucci, de 56 anos.

Segundo o Cenipa, a queda do helicóptero foi provocada por falta de manutenção da aeronave, por atitudes do piloto de "inobservância de procedimentos importantes para a decisão de realizar um voo com segurança"; da cultura organizacional da empresa, "uma vez que foi possível observar um conjunto de práticas adotadas que gerava riscos inaceitáveis para a execução da atividade"; a indisciplina de voo, já que foi extrapolado "os limites da autorização operacional do operador e para o qual não era qualificado"; o Julgamento de pilotagem do comandante; e o processo decisório na hora da tragédia.

Além disso, o relatório, de 65 páginas, aponta que o compreensor da aeronave foi trocado pela última vez em 1988 e que as peças estavam vencidas. O laudo ainda diz que o tubo de distribuição de óleo estava entupido e que a troca de óleo, que deveria ser feita todos os anos, chegou a ficar três anos sem ser feita. 

O acidente

O jornalista Ricardo Boechat morreu, aos 66 anos, na queda do helicóptero no Rodoanel, em São Paulo. Ele voltava de Campinas, onde tinha dado uma palestra em um seminário.

A aeronave se chocou com um caminhão, no momento em que tentou fazer um pouso de emergência.

Filho de diplomata, Boechat nasceu em Buenos Aires, em 13 de julho de 1952, e deixou a mulher, Veruska Boechat, e seis filhos. Um dos mais renomados jornalistas do país, passou pelas redações dos jornais O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Ele era âncora de telejornal e comentarista de rádio no Grupo Bandeirantes.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Argentina chora perda de Maradona
Jogadores se despedem de Maradona
Rhaldney Santos entrevista Dra Amanda López, neurocirurgiã pediátrica
Rhaldney Santos entrevista João Campos (PSB), candidato à Prefeitura do Recife
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco