Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Saúde

Parceria entre UFPE, UFRJ e UFRGS recebe concessão de patente de produto para tratar esquizofrenia

Publicado em: 18/09/2020 19:31 | Atualizado em: 22/09/2020 22:54

 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Os professores da UFPE Ivan Pitta e Maria do Carmo Lima, ambos do Programa de Pós-Graduação em Inovação Terapêutica (PPGIT), junto com outros pesquisadores da UFRGS e UFRJ, são autores do produto “Derivados benziltiazolidinônicos úteis no tratamento da esquizofrenia”, cuja patente foi concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) sob o registro BR 10 2013 022402 2. A invenção foi feita em parceria entre as três universidades, em regime de cotitularidade, e teve sua publicação por meio da Revista da Propriedade Industrial (RPI) 2587, do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

O invento se refere a composições farmacêuticas que atuam sobre o sistema nervoso central no tratamento da esquizofrenia ou de outras manifestações clínicas que requeiram o uso de antipsicóticos. Em estudos prévios, as vantagens apresentadas por esse invento incidiram na ausência de efeitos adversos típicos dos antipsicóticos quando comparados com outros agentes de igual gênero. Como benefício, essa patente apresentou menor incidência de catatonia – estado de imobilidade motora e anormalidade comportamental.

Doença
A esquizofrenia é uma doença que afeta a humanidade devido à multiplicidade de sintomas e à permanência dos mesmos ao longo da vida das pessoas. Ela é um transtorno psiquiátrico crônico e incapacitante, uma doença de natureza complexa, com manifestações múltiplas e quadros variados, sendo a mais importante das psicoses. Cerca de 1% da população desenvolve esta doença ao longo da vida, tanto homens quanto mulheres em igual proporção. É uma das formas mais importantes de doença psiquiátrica, uma vez que afeta pessoas jovens. Além disso, estudos mostram que pacientes esquizofrênicos apresentam uma taxa de mortalidade duas vezes maior do que a população em geral, pela maior prevalência e gravidade das condições clínicas.

Mais informações

Professor Ivan Pitta
irpitta@gmail.com

Professora Maria do Carmo Lima
nenalima.mariadocarmo@gmail.com
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #177 - Peixeis ósseos e cartilaginosos
Rhaldney Santos entrevista Dr. Luiz Carlos Santos
Rhaldney Santos entrevista Dra. Rebecca Spinelli
Rhaldney Santos entrevista Thiago Santos (UP)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco