Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Pesquisa

Mendonça Filho critica gestões do PSB por queda de renda do trabalhador no estado

Publicado em: 21/09/2020 20:23

 (Mendonça Filho disputa a Prefeitura do Recife pelo DEM. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Mendonça Filho disputa a Prefeitura do Recife pelo DEM. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O candidato a prefeito do Recife, Mendonça Filho (DEM), utilizou os dados de uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que apontou que a renda do trabalhador caiu 29,5% no Recife e 26,9% em Pernambuco, durante a pandemia da Covid-19, para criticar as administrações do PSB no estado. “Isso é o retrato da gestão do PSB, tanto no Recife quanto em Pernambuco", definiu o democrata. 
 
Ele disse, ainda, que "o Recife se tornou a capital do desemprego no Brasil desde 2019 e esse levantamento só confirma a falta de políticas de empregabilidade e o descaso com o trabalhador, já massacrado por altas taxas, impostos e multas. Sabiam que a pandemia iria atingir o mercado de trabalho e não fizeram nada para proteger os trabalhadores”, pontuou Mendonça Filho. Os percentuais, conforme destacou a assessoria do candidato, foram as maiores quedas entre todas as capitais e estados do Brasil, segundo a FGV.
 
De acordo com a equipe do candidato, o resultado desastroso é fruto da pesquisa   “Efeitos da Pandemia no Mercado de Trabalho Brasileiro: desigualdades, ingredientes trabalhistas e o papel da jornada”, coordenada pelo economista Marcelo Neri, da FGV, e que utilizou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), considerando trabalhadores formais, informais e desocupados, durante os últimos seis meses do isolamento social causado pela Covid-19. 
 
Com a baixa empregabilidade, houve um aumento considerável da informalidade e as pessoas tiveram que se reinventar para conseguir sobreviver. Ou seja, um quadro de recessão excludente, cuja renda cai para todos, mas com mais força para os mais pobres.  A análise da FGV apontou que a queda na renda média do trabalhador brasileiro atingiu 20,1% e o principal vetor foi a diminuição na jornada de trabalho média, de 14,34%, enquanto a taxa de ocupação caiu 9,9%.
 
Em valores, isso equilaveu a uma redução de R$ 1118 para R$ 893. As mulheres foram as que mais sentiram o baque no período, com queda de 20,54% na renda, contra 19,56% de redução dos homens. A metade mais pobre da população perdeu 27,9% (de R$ 199 para R$ 114) e os 10% mais ricos 17,5% (de R$ 5.428 para R$ R$ 4.447). Os principais grupos que perderam renda foram: indígenas (28,6%), anafalbetos (27,4%) e jovens entre 20 e 24 anos (26%).
 
No texto enviado à imprensa, a equipe da campanha de Mendonça fez questão de ressaltar que o levantamento constatou, ainda, que o cenário não foi ainda mais grave por conta de medidas adotadas pelo Governo Federal, como a suspensão dos contratos de trabalho parcial ou total, assim como o Auxílio Emergencial criado para socorrer a camada mais carente da população brasileira, pago entre R$ 600 e R$ 1.200, que ajudou milhões de trabalhadores a se manterem ativos. 
 
No entanto, o documento alerta que os contrates sugerem que quando a pandemia acabar, atraves do “efeito anestesia” do benefício pago, a situação social pode piorar muito se os resultados trabalhistas nao forem revertidos.
TAGS: dem | candidato | renda | psb |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #289 - Colênquima e esclerênquima
Rhaldney Santos entrevista Dra. Larissa Ventura, oftalmopediatra
Rhaldney Santos entrevista João Campos (PSB)
Rhaldney Santos entrevista o engenheiro Celso Cunha
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco