Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Solidariedade

Recifense pede ajuda a brasileiros para encontrar um doador de medula

Publicado em: 22/09/2020 20:43 | Atualizado em: 22/09/2020 21:25

Há 4 meses Julia, 36, esta internada com Aplasia Medular Severa. (Foto: Cortesia.)
Há 4 meses Julia, 36, esta internada com Aplasia Medular Severa. (Foto: Cortesia.)
A Recifense Julia Soares Alexandre, de 36 anos está internada esperando há quatro meses um transplante de medula óssea. A jovem médica encontra-se internada no Hospital Clinic Barcelona, na Espanha, recebeu o diagnóstico de Aplasia Medular Severa, uma doença rara e muito grave que diminui a produção dos grupos de células sanguíneas (hemácias, plaquetas e leucócitos) levando à anemia e ao alto risco de sangramento, com necessidade de transfusões de sangue, além de comprometer muito a imunidade, tornando-a ainda mais vulnerável a infecções graves por todos os tipos de agentes infecciosos (vírus, bactérias e fungos).

Há cerca de quatro ano ela teve que se submeter a uma cirurgia no cérebro para retirada de um tumor benigno. A cirurgia foi bem sucedida, mas o tumor reapareceu e ela teve que fazer novamente outra cirurgia. Conseguindo, desta vez, a cura definitiva.

O transplante de medula óssea é a única alternativa para Julia sobreviver e voltar a vida normal. Na última segunda-feira (21), amigos e familiares se reuniram na campanha #TodosPorJulia em busca de um doador compatível.

A campanha está mobilizando a todos para fazerem o teste e ver a compatibilidade. O exame é de sangue normal chamado HLA A, B, C e DR, é totalmente gratuito. No Recife, é feito no Hemope e em todas as cidades do país que possuam Hemocentros, centros de coleta do Cadastro Nacional de Doadores de Medula. Realizado o exame, o resultado será incluso no Redome - Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea, um cadastro onde será verificada a compatibilidade, tudo acompanhado pela equipe de Hematologia do Hospital Clinic Barcelona. Sendo compatível, o transplante é um procedimento simples, com uma simples agulha, não fica cicatriz, não precisa sequer de internamento hospitalar. 

“Julia jamais mediu esforços para ajudar quem precisa, é muito alegre e divertida, uma irmã maravilhosa, tem uma sede de viver e cheia de planos. A família e os amigos são seu tesouro e bem mais precioso. É uma mãezona. Uma mulher decidida, que se impõe pela sabedoria. Esperamos encontrar logo um doador ou doadora para que possamos diminuir esse sofrimento”, disse Jarbas Júnior, irmão de Julia. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Resumo da semana: 5 anos do surto de microcefalia, Covid suspende aulas e nova pesquisa no Recife
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #289 - Colênquima e esclerênquima
Rhaldney Santos entrevista Dra. Larissa Ventura, oftalmopediatra
Rhaldney Santos entrevista João Campos (PSB)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco