Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Educação

Mesmo sem data definida, escolas privadas do Recife preparam retorno

Publicado em: 06/08/2020 19:00 | Atualizado em: 06/08/2020 19:48

Escolas mantêm rotina de preparação para receber os estudantes. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Escolas mantêm rotina de preparação para receber os estudantes. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)

Apesar de o governo do estado ainda não ter definido uma data para o retorno das atividades presenciais nas escolas da educação básica e instituições do ensino superior, unidades privadas do estado mantêm uma rotina de preparação das instalações para a chegada dos estudantes. As aulas presenciais, suspensas desde o dia 18 de março em Pernambuco, continuam proibidas até o dia 15 de agosto. Nesta quinta-feira (6), o estado autorizou a retomada das atividades em instituições de cursos livres, como cursos de idiomas e profissionalizantes.

Protocolo estadual para o setor da educação exige presença de álcool para higienização das mãos nas escolas.  (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Protocolo estadual para o setor da educação exige presença de álcool para higienização das mãos nas escolas. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)

Entre as determinações definidas no protocolo do estado para o setor educacional, está a definição da distância mínima de um metro e meio entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores em todos os ambientes da unidade de ensino. A equipe gestora deve observar o número de alunos por turma, reduzindo a quantidade, se necessário, inclusive com a possibilidade de adoção de um sistema de rodízio nas escolas. Outra medida é a promoção de diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação para evitar aglomerações nas dependências da escola. O documento também prevê a disponibilização de álcool 70% para limpeza das mãos dos estudantes, trabalhadores em educação, colaboradores e ao público em geral ao entrar e sair do estabelecimento de ensino.

Na Escola Planeta Kids, voltada para berçário e educação infantil, um protocolo próprio foi criado, considerando as exigências do estado e as recomendações feitas pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe-PE). "Vamos priorizar as atividades ao ar livre. Instalamos pias na entrada da escola, com diferentes tamanhos, para serem usadas por adultos e pelas crianças", disse a diretora pedagógica da escola, Flávia Lyra.

Para as crianças entenderem o distanciamento social, escola Planeta Kids desenhou onde cada aluno deve se posicionar. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Para as crianças entenderem o distanciamento social, escola Planeta Kids desenhou onde cada aluno deve se posicionar. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)

Segundo a pedagoga, a espera por uma data de retorno das aulas presenciais tem sido angustiante. "Estamos prontos e com segurança para a retomada. Trazer o filho será uma opção dos pais, que precisam optar pelo ensino presencial. Muitos deles já voltaram ao trabalho e nos pedem um retorno sobre a volta, mas dependemos da decisão do estado", afirmou. Considerando o público infantil, a escola adaptou a estrutura para tornar as novas medidas mais lúdicas. "Pintamos o chão com as marcas de pezinhos para que eles entendam, no universo deles, onde cada um deve ficar. Não teremos mais materiais coletivos. Apenas os individuais", pontuou Flávia.

LEIA MAIS:


Pernambuco libera atividades presenciais de cursos livres a partir do dia 17

Pernambuco prorroga até 15 de agosto decreto que suspende as aulas presenciais

Protocolo completo de retomada das aulas em Pernambuco é divulgado; confira

Alepe discute retorno das aulas presenciais no estado

Colégio Boa Viagem vai aferir temperatura dos estudantes. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Colégio Boa Viagem vai aferir temperatura dos estudantes. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)

O Colégio Boa Viagem também criou um documento próprio para guiar a retomada. O protocolo da escola contempla métodos e procedimentos para prevenir a transmissão da Covid-19 e foi revisado e validado pela D'Or Soluções, empresa do Grupo Rede D’Or São Luiz, especializada em gestão de saúde e segurança do trabalho. "O momento ainda exige muita atenção e responsabilidade, por isso, estamos trabalhando com todo o cuidado para garantir a segurança e a saúde dos nossos colaboradores, responsáveis e alunos nesta volta", disse o diretor do CBV George Diniz. 

O fluxo de pessoas pelos ambientes da escola será restringido, de acordo com o espaço físico disponível e diretrizes governamentais. Além disso, a capacidade de cada sala de aula será revista de acordo com metragens mais espaçadas para ocupação dos alunos. As áreas comuns, a exemplo das filas de banheiros, das cantinas e para aferição de temperatura próximas às entradas, terão demarcações no piso indicando distanciamento.

Marcações para o cumprimento do distanciamento social estão sendo feitas no CBV. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Marcações para o cumprimento do distanciamento social estão sendo feitas no CBV. (Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)
Os horários e locais de entrada, recreio e saída das turmas serão espaçados e segmentados. Sobre o recreio, serão adotados horários alternativos, evitando a convergência de turmas no espaço comum. Com relação à entrada dos pais na escola, os atendimentos na modalidade remota serão priorizados, com exceção de retirada de documentos. Também ficará restrito o uso de salas e espaços multiuso. Salas de estudo e bibliotecas serão reorganizadas para garantir maior distanciamento entre os alunos, além de contar com restrições ao empréstimo de livros.

Diferentes realidades

Das 2,4 mil escolas privadas de Pernambuco, cerca de 80% têm até 250 alunos. Muitas unidades estão passando por dificuldades financeiras. "Quando as aulas foram proibidas no estado, a escola suspendeu os contratos dos professores. Depois, demitiu metade do quadro de funcionários. No começo deste mês, fechou as portas e negociou com outras unidades do bairro para receberem os alunos", disse uma professora de uma escola de pequeno porte na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, que não quis se identificar.

Carta

Em carta direcionada à população pernambucana, o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco disse, no último dia 27, que as escolas particulares estavam prontas para retomar as atividades presenciais. O Sinepe-PE propõe um retorno às aulas presenciais progressivo, iniciando com as turmas da educação infantil ao primeiro ano do ensino fundamental e do nono ano ao ensino médio.

"Esses grupos não compartilham os mesmos espaços, têm acessos distintos, horários de entrada, saída e intervalo de aulas também distintos. Na semana seguinte, chegariam os alunos do segundo ao quinto ano do ensino fundamental e, finalmente, na terceira semana, sexto; sétimo e oitavo anos do ensino fundamental", pontuou o sindicato, na carta.

Confira, na íntegra, a carta do Sinepe-PE:

O novo coronavírus tem deixado todos apreensivos em relação ao futuro. Durante esses quatro meses de pandemia, o foco foi a superação dos desafios. Agora é o momento de se reerguer! Com o avanço e eficácia do Plano de Monitoramento e Convivência com a Covid-19 do Governo de Pernambuco, diversas atividades econômicas no estado, de forma ordenada e segura, começaram a ajustar o seu eixo para o “novo normal”. E essa retomada nos inspira a conciliar saúde e educação. O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (SINEPE-PE), desde a suspensão das aulas presenciais em face da pandemia, vem assessorando as escolas particulares de Educação Básica nos aspectos educacionais, sanitários e legais.

Entendemos que a volta das aulas presenciais deve observar condições e prazos articulados com a saúde e aprendizagem. A prioridade absoluta será a biossegurança em relação aos estudantes, familiares e profissionais da educação. Portanto, como princípios básicos de proteção, as escolas particulares de Pernambuco providenciaram medidas como o distanciamento social de 1,5m entre as pessoas, a aquisição de equipamentos de proteção facial para os profissionais da educação, com uma atenção especial para aqueles que integram grupos de risco.

Haverá aferição de temperatura na entrada, uso obrigatório de máscaras, sanitização contínua dos ambientes internos, e a higienização das mãos na entrada, permanência e saída dos espaços escolares. Tais medidas, entre tantas outras, estão orientadas pela consultoria do Infecto Associados do Recife (IAR), que atua segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com o infectologista e diretor médico do IAR, Dr. Filipe Prohaska, é necessário que os estabelecimentos de ensino modifiquem sua estrutura física, criem fluxos e redescubram a higienização adequada do ambiente. Cada escola possui peculiaridades próprias, com necessidade de adaptações para minimizar o risco de contágio pelo novo coronavírus. A escola exerce um papel de formação que possibilita a expansão desse aprendizado em ambiente escolar para outros locais, como casa de familiares, áreas de convívio coletivo e cuidados com situações diárias de possível exposição. Grupos de risco devem permanecer com atividades remotas, e a presença do pediatra/hebiatra assistente é de suma importância nessa decisão junto aos pais.

O SINEPE-PE propõe um retorno às aulas presenciais progressivo, iniciando com as turmas da Educação Infantil ao 1º ano do Ensino Fundamental, e do 9º ano ao Ensino Médio. Esses grupos não compartilham os mesmos espaços, têm acessos distintos, horários de entrada, saída e intervalo de aulas também distintos. Na semana seguinte, chegariam os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental e, finalmente, na terceira semana, 6º, 7º e 8º anos do Ensino Fundamental. Sempre haverá 50% dos alunos no  presencial e a outra metade em casa, acompanhando as mesmas aulas on-line, alternando os grupos a cada dia da semana.

Considerando a diversidade das curvas epidemiológicas em Pernambuco, admite-se que o cronograma de reabertura pode ser regionalizado e híbrido, com aulas presenciais e on-line, de acordo com a situação epidemiológica do município ou da microrregião do estado. E em respeito à posição de cada família, os estudantes poderão permanecer no sistema remoto, se assim desejarem.

No quesito pedagógico, o foco será na qualidade do aprendizado e não na quantidade de conteúdo. O plano de retomada do SINEPE-PE sugere ajustes no calendário escolar de cada estabelecimento de ensino, de acordo com o seu projeto pedagógico, respeitada a legislação vigente.

Defendemos uma retomada segura e ordenada para toda a comunidade escolar, pois os nossos estudantes são o que temos de mais sublime. Com a redução contínua das contaminações pelo novo coronavírus nas regiões do estado e a preparação implementada pelas instituições de ensino para seguir os protocolos de proteção, asseguramos que não é preciso escolher entre a saúde das pessoas e o funcionamento das escolas. Vida e educação podem e devem coexistir, e é por isso que lutamos!

Assinam este documento:

Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (SINEPE-PE), em nome das escolas particulares do estado

Equipe de Biossegurança IAR


 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro
Rhaldney Santos entrevista o empreendedor digital Harry Thorpe, criador da plataforma Miauu
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco