Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Eleições municipais

PSB de Olinda fecha aliança com a Rede em favor da pré-candidatura de Pedro Mendes

Publicado em: 14/07/2020 17:21 | Atualizado em: 17/07/2020 21:18

 (Pedro Mendes ainda não tem o aval do PSB estadual para entrar na disputa. Foto: Divulgação)
Pedro Mendes ainda não tem o aval do PSB estadual para entrar na disputa. Foto: Divulgação
O primeiro passo para firmar uma aliança de partidos em favor da pré-candidatura do ex-vereador de Olinda Pedro Mendes (PSB) foi com dado nesta terça-feira (14). O diretório municipal do partido fechou parceria com a Rede Sustentabilidade para disputa a eleição na cidade. Segundo a direção do PSB em Olinda, a aliança é também uma reação ao eles chamam de "manobra" feita pelo presidente estadual da legenda, Sileno Guedes, para descartar uma candidatura própria no município.
 
Em Olinda, o PSB/PE está na coligação que apoia o governo do prefeito Professor Lupércio (SD). O Solidariedade que, no estado, é comandado pelo deputado federal Augusto Coutinho, segundo especulações, já condicionou o apoio da sigla no Recife a manutenção da coligação ao projeto de reeleição de Lupércio.
 
De acordo com a direção do PSB em Olinda, no dia 02 de julho, Sileno Guedes, sem qualquer diálogo com a direção partidária ou a militância municipal, emitiu uma nota acerca da posição do PSB nas eleições na cidade, afirmando que não há definição de candidatura própria no município, e que o PSB de Pernambuco preza pela manutenção das relações com os partidos que integram a Frente Popular.
 
Ainda em resposta ao presidente estadual, a Comissão Executiva do PSB-Olinda afirma que pediu providências a Executiva Nacional do PSB "pela interferência ocorrida nas articulações municipais". O presidente do PSB em Olinda, Sivaldo Leal, destaca, ainda, que, por unanimidade, foi decidido reafirmar a oposição ao atual prefeito do município (base de apoio do presidente Bolsonaro), e que a coligação majoritária municipal deve ser construída com partidos democráticos de esquerda e centro-esquerda, convergentes com as diretrizes nacionais do PSB.
 
Ainda de acordo com Sivaldo Leal, existe uma articulação do PC do B para fechar uma disputa em que fique apenas o atual prefeito e o candidato do deputado Renildo Calheiros na disputa. "O PSB-Olinda não acredita que um movimento entre Renildo Calheiros, Sileno Guedes, e Humberto Costa (senador do PT), impedirá candidaturas livres na cidade, porque entendemos que esse é um movimento contra a população. Vamos lutar até as últimas instâncias para que o povo de Olinda tenha outras opções, que não apenas esses dois projetos que já foram julgados e rejeitados pela população. Queremos apresentar novos horizontes, o PSB tem legítimas condições de ter candidatura na cidade", frisou Sivaldo Leal.
 
Questionado sobre o assunto, a direção estadual do PSB infromou que "a nota divulgada sobre Olinda tomou como base as resoluções aprovadas pelas executivas nacional e estadual", justificando que as decisões não foram unilaterais. A resolução é datada de 16 de junho e assinada por Sileno Guedes. No  artigo do documento, a direção afirma que "todas as deliberações dos congressos municipais (convenções) do PSB sobre formação de coligações ou escolha de candidatos em cidades polos terão que ser submetidas à aprovação da respectiva comissão estadual que poderá aprovar, alterar ou anular em caso de desacordo com as orientações políticas-eleitorais da sigla".
 
Em nota divulgada no final da tarde desta terça-feira (14), a Rede Sustentabilidade informou que em relação à notícia dando conta de "um suposto acordo entre a REDE e o PSB de Olinda", a Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade ressalta que ainda não definiu sua tática em relação à eleição em Olinda. 
 
A coligação entre as duas legendas foi divulda pelo diretório municipal do PSB também nesta terça-feira, incluindo um documento formalizando a aliança, que é assinado pelo presidente do PSB/Olinda, Sivaldo Leal, e Edson Celestino, porta-voz da Rede Sustentabilidade/Olinda.
 
Veja abaixo a nota na íntegra. 
 
1) A REDE ainda não definiu sua tática em relação à política de alianças no processo sucessório de Olinda 
 
2) Por se tratar de um município com mais de 200 mil eleitores, essa tática será debatida e definida, necessariamente, pela instâncias  municipal, estadual e nacional da REDE, conforme resolução do Elo (Diretório) Nacional
 
3) A Comissão Municipal Provisória da REDE em Olinda está vencida desde 31.12.2019 e sua reorganização está sendo objeto de debate entre a Direção Estadual do Partido e o conjunto dos filiados do município
 
4) Qualquer manifestação pública em relação à tática eleitoral da REDE em Olinda, que não tenha sido definida pelas instâncias partidárias acima citadas, tem caráter meramente pessoal e não representa a posição do Partido
 
Recife, 14 de julho de 2020
Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade/Pernambuco
 
Depois da nota divulgada, na última terça-feira (14), pela executiva estadual da Rede Sustentabilidade/PE, afirmando que o partido ainda não definiu sua tática política em relação ao município, Edson Celestino, porta voz do Elo/Olinda e Clécio Araújo, coordenador geral e porta voz da Rede/PE, soltaram uma nova nota questionando a divulgada anteriormente.
 
A polêmica envolve a parceria entre a Rede e o PSB em apoio a pré-candidatura do ex-vereador de Olinda Pedro Mendes a prefeito da cidade. 
 
Veja abaixo a nota na íntegra:
 
1) O artigo 27, alíneas l e V do Estatuto do partido, estabelece: "Compete à Coordenação Geral da Rede" (porta-voz/presidente)
 
I- "representar a Rede ativa e passivamente, judicial e extrajudicialmente"
 
V-"Convocar e presidir as reuniões da comissão executiva [...]
 
2) O porta-voz (presidente) Estadual não convocou nenhum membro da Comissão Executiva para participar de qualquer reunião com o objetivo de discutir alguma decisão do Elo/Olinda (Comissão Provisória)
 

3) Não houve nenhuma deliberação dessa instância partidária sobre o referido assunto
        
4) O artigo 33, parágrafo 1º, estabelece: "As Comissões Provisórias [...] municipais terão prazo de vigência de 12 (doze) meses [...] em atendimento ao disposto no artigo 2 da Resolução do TSE, nº 2337 1/16"
 
5) O Elo/Olinda (Comissão Provisória) foi reconduzido em março de 2020 pela instância estadual partidária
 
6) O Elo/Olinda (Comissão Provisória) não definiu sua tática eleitoral para o próximo pleito municipal
 
7) Essa decisão será tomada em setembro, quando acontecerá a Convenção Municipal, e de acordo com as resoluções e normas das instâncias estatutárias
8) O Elo/Olinda (Comissão Provisória), por unanimidade, decidiu estabelecer de forma inédita e inovadora, um acordo programático de governança municipal com o PSB, para debater e construir coletivamente um projeto alternativo de governo para a Cidade
 
9) Essa decisão (PSB e Rede) se estenderá a outros partidos do mesmo campo político ideológico, desde que esses não se encontrem em condição de apoio ao atual prefeito ou ao governo federal
 
10) Por fim, em respeito ao que reza o estatuto, enfatizamos: só a Coordenação Geral da Rede/PE pode legalmente representar a Rede Sustentabilidade de Pernambuco
 
Edson Celestino
(Porta Voz do Elo/Olinda)
 
Clécio Araújo.
Coordenador Geral
(Porta Voz da Rede/PE)
 
 
TAGS: aliança | psb | rede | eleições | olinda |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Vacina: 5,7 bilhões de doses já foram compradas no mundo
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
12/08 - Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Bolsonaro: incêndios na Amazônia são mentira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco