Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Recordando

Sara Winter, líder de grupo extremista, já foi presa no Recife

Publicado em: 31/05/2020 10:32 | Atualizado em: 31/05/2020 13:22

Sarah Winter detida após protesto no Recife, em 2013 (Foto: Bruna Monteiro DP/D.A Press)
Sarah Winter detida após protesto no Recife, em 2013 (Foto: Bruna Monteiro DP/D.A Press)


Sara Winter, youtuber e ex-integrante do grupo feminista ucraniano Femen, voltou aos holofotes da imprensa ao liderar um pequeno grupo de extrema-direita chamado Os 300 do Brasil. Na madrugada deste domingo (31), o movimento chocou a internet ao marchar diante do Supremo Tribunal Federal com máscaras e tochas, em nítida inspiração em grupos supremacistas. Há sete anos, no entanto, a paulista era notícia nos jornais de Pernambuco por ser presa durante um protesto de ambulantes no Centro do Recife.

Sara Winter morava na capital pernambucana e vendia bolo na Avenida Conde da Boa Vista. Na época, uma ação da prefeitura que retirou vendedores ambulantes da Ponte de Ferro, na Boa Vista, ocasionou um protesto, realizado em 31 de outubro de 2013. A esquina da Conde da Boa Vista com a Rua Gervásio Pires foi fechada por cerca de 50 camelôs. Winter e mais três manifestantes foram detidos por entrar em confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar. Os presos foram levados para a Delegacia de Plantão de Santo Amaro.

"Eu tinha acabado de sair do cartório, pois me casei hoje, e estava almoçando com meu marido e minha mãe. Quando vi o movimento, resolvi entrar também porque acho errado o que fizeram com os comerciantes. Não é justo", disse Sara, em entrevista ao Diario de Pernambuco na época. 

Revoltados com as detenções, um grupo de comerciantes liderados pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal do Recife saiu da manifestação e foi ao Ministério Público discutir o suposto abuso da polícia e a retirada dos trabalhadores da Ponte de Ferro. Ainda no dia 31 de outubro, Sara foi liberada juntamente com os outros três comerciantes presos. Em seu período no Recife, Sara foi uma figura relativamente conhecida em nichos da esquerda recifense. Era muito vista com o marido em locais como o Mercado da Boa Vista. 

Apesar de ficar conhecida pela militância feminista no Femen, Sara se transformou em uma ativista conservadora, levantando principalmente a bandeira do combate ao aborto. Ela chegou a ter um cargo no governo de Jair Bolsonaro, sendo secretária de Damares Alves no ministério de Direitos Humanos.

Recentemente, a youtuber começou a liderar o grupo Os 300 do Brasil. Em entrevista, ela disse que integrantes do movimento costumam andar armados, dando a entender que trata-se de uma espécie de pequeno grupo paramilitar. O nome é uma referência ao filme 300 (2007), que retrata a vitória de um exército espartano de três centenas de homens que lutou contra um exército persa de 30 mil soldados.

Na semana passada, Winter teve seus computadores apreendidos pela Polícia Federal, que cumpriu um mandado expedido por Alexandre de Moraes, como consequência de uma investigação conduzida pelo Supremo Tribunal Federal sobre disseminação fake news. "A gente vai infernizar a tua vida", disse Sara, em vídeo destinado a Moraes. "A gente vai descobrir os lugares que você frequenta. A gente vai descobrir as empregadas domésticas que trabalham pro senhor. A gente vai descobrir tudo da sua vida. Até o senhor pedir pra sair. Hoje, o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morre Georg Ratzinger, irmão de Bento XVI
Sarí é indiciada por abandono de incapaz com resultado morte
Opas prevê mais de 400 mil mortes na América Latina e Caribe
Nascimento de panda é motivo de comemoração em Taiwan
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco