Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Últimas

Festival Lula Livre

'A quadrilha nesse país foi montada por Moro, Dallagnol e Bolsonaro', diz Lula, em discurso no Recife

Publicado em: 17/11/2019 20:41 | Atualizado em: 18/11/2019 07:34

 (Foto: Bruna Costa/DP Foto)
Foto: Bruna Costa/DP Foto
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discursou para uma multidão no Pátio da Nossa Senhora do Carmo, no Centro do Recife, na noite de ontem, durante a programação musical do festival Lula Livre. Além de criticar a agenda econômica do governo de Jair Bolsonaro, o petista voltou a fazer investidas contra Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato. “Eles tentaram um acordo para que eu saísse da cadeia porque eu passei a ser um problemas para eles. Eu não quis ficar preso em casa porque minha canela não é de pombo para ter tornozeleira”, disse. “Eu poderia ter ido para outro país, mas escolhi a Polícia Federal porque eu tinha que desmascarar Moro, Dallagnol e Bolsonaro. [...] A quadrilha nesse país foi montada por Moro, Dallagnol e todos aqueles que me julgaram”.

O petista subiu no palco por volta das 19h, de mãos dadas com a cirandeira Lia de Itamaracá, uma das atrações do festival. Maciel Salu, Bruno Lins, Mundo Livre S.A, Doralyce, Francisco el Hombre e Odair José foram outros artistas da programação, com quase 50 nomes escalados. Fernando Haddad, candidato à presidência pelo PT em 2018, também marcou presença no palco. Dos petistas estaduais, João Paulo, Marília Arraes e Humberto Costa assistiram o discurso. De acordo com os organizadores, o público foi de 200 mil pessoas.

Logo no início do discurso, Lula afirmou que acreditava ter “desaprendido a falar depois de 580 dias trancado em uma solitária”. “Eu posso garantir que eu tive muita dúvida se deveria vir ou não. [...] Mas posso dizer para vocês uma coisa: sou um homem melhor do que aquele que entrou na cadeia, sou mais maduro”. Para criticar o governo de Jair Bolsonaro, ele disse que acredita que o país “está sendo destruído”. “Estou vendo a nossa cultura ser destruída, a nossa ciência, as nossas universidades e o nosso emprego serem destruídos. Eu estou vendo a sociedade, sobretudo a juventude, destruída. Estou vendo os ataques aos LGBTs, aos negros, aos índios. Eu estou vendo o crescimento do feminicídio. Eu estou vendo salários desprazimento. A aposentadoria cada vez mais distante do trabalhador. Estamos com dificuldades de reagir”.

“O show vai continuar quando eu sair daqui. A campanha Lula livre tem que se transformar numa campanha muito maior. Queremos a anulação da safadeza dos processos contra nós. Apresentem as provas contra mim e me condenem. Queria que eles estivessem aqui para discutir quem é safado nesse país”, disse o ex-presidente que foi condenado em primeira, segunda e terceira instâncias sob a acusação de aceitar reformas e a propriedade de um tríplex, em Guarujá, como propina da empreiteira OAS em troca de contrato com a Petrobras.

“Tenham certeza absoluta que cada minuto que terei de vida pela frente será para libertar o país dessa quadrilha de milicianos que se instalaram no país”, disse, em ataque do governo Bolsonaro. Ao sair do palco, o ex-presidente passou o microfone para o músico pernambucano Siba, que encerrou a noite de shows com vários mestres de maracatu da Mata Norte do estado.

Após o evento, Lula foi jantar na casa da deputada federal Marília Arraes. Na tarde do domingo, ele ainda participou de almoço organizado pela governadora em exercício Luciana Santos (PCdoB). Com a viagem oficial do governador Paulo Câmara (PSB) à Europa em comitiva do Consórcio Nordeste, outras lideranças do PSB foram recepcionar o ex-presidente. O prefeito do Recife, Geraldo Julio, e os deputados federais João Campos e Tadeu Alencar, líder da bancada do PSB na Câmara Federal, e o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, além da viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, estiveram presentes. Já o jantar para Lula vai ser promovido pela deputada federal Marília Arraes (PT), que não esteve presente no almoço com os socialistas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Itália proíbe entrada de viajantes brasileiros
10/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Burro invasor de lives faz santuário de animais arrecadar dinheiro
Seminário discute novo marco legal do saneamento básico
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco