Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Últimas

TECNOLOGIA

Semana Nacional de Ciência quer popularizar produção científica

Publicado em: 21/10/2019 19:48 | Atualizado em: 21/10/2019 19:56

 (Tomaz Silva/Agência Brasil.)
Tomaz Silva/Agência Brasil.
Teve início hoje (21) a 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). A iniciativa vai reunir mais de cinco mil atividades em todo o país visando aproximar a produção científica da população. Na cerimônia de abertura, em Brasília, autoridades ressaltaram a importância de popularizar as pesquisas no país e promover carreiras vinculadas à produção de conhecimento junto à juventude.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, destacou o papel da semana nacional como forma de desmistificar a ciência como %u201Calgo relacionado a um pesquisador de jaleco branco que ninguém entende e não dialoga com as pessoas%u201D. Em vez desse imaginário, segundo o ministro, os eventos distribuídos em todo o país contribuirão para evidenciar como as inovações estão no dia a dia das pessoas.

Pontes acrescentou que esse diálogo é ainda mais importante diante do descrédito de algumas pessoas sobre descobertas científicas. %u201CÀs vezes você vê, principalmente no meu setor, gente duvidando que o homem chegou à Lua e outros temas. Isso vem de uma divulgação científica deficiente, por isso precisamos melhorar a divulgação científica, assim como o ensino de ciência nas escolas%u201D.

O ministro elencou como ação de sua pasta o programa Ciência na Escola, que leva pesquisadores para escolas e alunos para instituições de ensino e pesquisa. Entre as ações estão olimpíadas, como as de matemática, de robótica e de astronomia. %u201CIsso é importante para o jovem olhar e falar: ´quero trabalhar com isso´%u201D, disse.

Semente
O secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal, Gilvan Máximo, classificou a semana nacional como principal projeto para %u201Cbotar uma semente para despertar os cientistas do futuro%u201D. Ele acrescentou que as exposições ajudam a mostrar de forma mais didática diversas inovações que podem servir de referência para as próximas gerações.

Tomando como gancho o tema da semana Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável, o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Regional, Antônio Carlos Futuro, defendeu a necessidade de avançar em pesquisas que tragam a perspectiva da transformação digital também para o tema do desenvolvimento sustentável.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, colocou a necessidade de avanços científicos na sua área, marcada por uma balança comercial negativa de US$ 26 bilhões (R$ 107,38 bilhões). Ele indicou como segmento de ponta no setor as inovações em genética, tema que pode ensejar ganhos importantes ao país. %u201CFundamental despertar os jovens para inovações em um país que tem o desafio de dar saúde como direito%u201D, disse.

Avenida da Ciência
O evento de abertura ocorreu dentro da estrutura montada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações na capital apelidada de Avenida da Ciência. No pavilhão, mais de 180 expositores espalhados em mais de 21 mil metros quadrados apresentarão veículos diversos - como aeronaves e carros autônomos -, máquinas, inovações e projetos de pesquisa.

A oceanógrafa do projeto de microtecnobiologia de microalgas da Universidade Federal do Rio de Janeiro Alinne Junqueira é uma das expositoras. Ela e seus colegas apresentarão informações sobre as microalgas e seus benefícios. %u201CAlém de elas terem um papel primordial ecológico na cadeia alimentar dos oceanos, elas também apresentam uma grande aplicação como complemento alimentar%u201D, explicou a pesquisadora.

A aluna de enfermagem da Universidade de Brasília Maria Clara Pelegrini também está em um dos espaços da exposição. No estande, é apresentado o projeto Museu da Anatomia Humana, da Faculdade de Enfermagem da UnB. A iniciativa reúne diversas peças e técnicas relacionadas ao corpo humano.

Atividades
Até domingo (27), mais de 5,2 mil atividades devem ser promovidas por 172 instituições ligadas aos governos federal, estaduais e municipais, escolas, centros de pesquisa e entidades da sociedade civil. Ao todo, os eventos preparados para a semana serão realizados em 278 municípios, em 23 estados e no Distrito Federal.

A programação completa está na página do evento no site do MCTIC.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Sobe, Lia, sobe.
João Alberto entrevista Larissa Lins
Como se preparar para as provas do SSA 3 da UPE
Pelé abre o jogo e fala sobre racismo, mil gols e sucessor
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco