Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

FESTIVAL

Criador do Rock in Rio, Roberto Medina fala sobre comprovante de vacinação

Por: Gabriel Elias

Por: Uai

Publicado em: 14/10/2021 18:29

 (Foto: Approach/Divulgação)
Foto: Approach/Divulgação
O  festival Rock in Rio será realizado de 2 a 11 de setembro de 2022 e, com isso, os fãs do evento estão 'para lá' de ansiosos com a próxima edição. Devido a pandemia que estamos vivendo, o fundador do Rock in Rio, Roberto Medina, deve exigir a vacinação completa em sua edição de 2022.
 
Em entrevista para a revista Veja, Roberto defendeu a obrigatoriedade da vacina e o passaporte de vacinação para eventos. "Sou totalmente a favor não só dele, como da obrigatoriedade da vacina. O argumento de quem diz 'eu tenho a minha liberdade' é inaceitável. No momento em que uma pessoa se recusa a se vacinar, põe em risco outras vidas. Tem mais é que ser impedida de entrar nos eventos." 

Na entrevista, o fundado do mega festival também adiantou como será colocado em prática as medidas sanitárias de segurança no festival; tais como o uso de máscara, distanciamento social e o uso de álcool em gel. 

"Certos hábitos, como o uso de álcool em gel e máscara, permanecerão por um bom período", afirmou Roberto Medina. "Vamos aumentar a Cidade do Rock em 20% e manter o público em torno de 100 mil pessoas. Atrações que formam filas, como roda-gigante e tirolesa, ficam no cardápio, só que com estratégias de distanciamento na entrada. Fora isso, haverá mais pias para lavar as mãos e seguiremos as normas estabelecidas, que podem incluir a exigência do passaporte da vacina," disse.  

 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Manhã na Clube: ex-ministro Roberto Freire, dr. Cláudio Falcão e o advogado Pedro Avelino
Grupo Diario de Pernambuco