Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

MÚSICA

Em homenagem a Mirtes Renata, Festival Canta Mulher terá Lia de Itamaracá, Amigas do Brega, Flaira Ferro e mais

Publicado em: 30/04/2021 09:22 | Atualizado em: 30/04/2021 09:29

Flaira Ferro, Lia de Itamaracá e Palas Pinho, vocalista da Amigas do Brega (Foto: Matheus Melo, José de Holanda e Instagram/Reprodução)
Flaira Ferro, Lia de Itamaracá e Palas Pinho, vocalista da Amigas do Brega (Foto: Matheus Melo, José de Holanda e Instagram/Reprodução)

O Festival Canta Mulher Vozes pela Vida chega em sua 10ª edição com transmissões virtuais nesta sexta-feira (30) e sábado (1º), a partir das das 20h, no canal da Agência Praieira, no YouTube (cutt.ly/10CantaMulher). Neste ano, o festival presta uma homenagem a Mirtes Renata Santana de Souza, mãe do garoto Miguel Otávio, que morreu ao cair de um prédio no Centro do Recife. Ao todo, 25 artistas participam das apresentações nos dois dias de evento, como Flaira Ferro, Lia de Itamaracá, Amigas do Brega, Beth de Oxum, Nádia Maia e Banda Sedutora (confira a programação completa no final da matéria).

A equipe do Canta Mulher chegou a produzir um curta com Mirtes Renata sobre a história de Mirtes antes e depois da tragédia envolvendo o filho, de apenas cinco anos. Segundo a Frente de Mulheres de Pernambuco, que promove o evento, ela foi escolhida como homenageada porque a pandemia afetou diretamente as mulheres, principalmente as trabalhadoras domésticas, a maioria mulheres negras, que perderam a fonte de renda ou foram obrigadas a trabalhar mesmo na pandemia, como foi o caso de Mirtes.

O evento desse ano levanta as bandeiras pelo auxílio emergencial, pela vacina e por mais solidariedade, também será lançada uma campanha de arrecadação de alimentos para serem doados a pessoas em situação de vulnerabilidade. Apoiam a iniciativa, a União Brasileira de Mulheres, a Confederação das Mulheres do Brasil, a União de Negros pela Igualdade, a União Nacional LGBT, a Secretaria Nacional de Mulheres, a Central das Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, a União da Juventude Socialista e a Ação da Mulher Trabalhista.

O evento vai destacar, ainda, a importância de lembrar o dia 27 de abril, Dia Nacional da Trabalhadora e do Trabalhador Doméstico, como uma data de luta por garantia de direitos desses profissionais.

Integrantes de movimentos sociais de mulheres e feministas, trabalhadoras e trabalhadores, LGBTQIA+, movimento negro, jovem e forças sociais vinculadas à luta das mulheres por igualdade de direitos também terão lugar de fala durante o festival. Edna Costa, fundadora da Confederação das Mulheres do Brasil  (CMB) e do Canta Mulher, é uma das participantes.

A primeira edição do Canta Mulher aconteceu em 8 de março de 1984, no Geraldão, com apresentação única de Nara Leão. Em 1999, o festival aconteceu no Teatro da UFPE e homenageou dom Helder Câmara, na época, arcebispo de Olinda e Recife. Foi a última aparição do religioso em público, quando ele já estava com a saúde debilitada.

Confira a programação:

Sexta-feira (30)
Performance Elo
Dione Barreto
Gemima Santos
As Severinas
Nádia Maia
Flor de Manacá
Dayse do Banjo e
Cidinha Zanon
Anna Fernandez e Marieta Maia
Guerreiras do Carimbó
Lia de Itamaracá
Sevy Nascimento
Linda Nogueira
Nenas Farias
Diva Menner

Sábado (1º)
Grupo Cultural Florescer
Mãe Lúcia e
Afoxé Filhos do Vento
Raízes de Arcoverde
Moda Mangue
Mãe Beth de Oxum
Sonia Sinimbu
Bia Marinho
Olívia Fancello e
Déa Cavalcanti
Vera Porto
Flaira Ferro
Thauanne
Sedutora
Amigas do Brega
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Equipamento desenvolvido pela UFPE elimina o coronavírus de ambientes de forma automatizada
ONU marca reunião para discutir a crise no Oriente Médio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 14/05
Cuba inicia vacinação contra a Covid-19 com imunizante próprio
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco