Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

MÚSICA

Lirinha participa de bate-papo no Sonora Coletiva, da Fundaj, nesta quinta

Publicado em: 23/03/2021 12:08 | Atualizado em: 23/03/2021 12:10

Lirinha (Foto: Jonatas Tucci/Divulgação)
Lirinha (Foto: Jonatas Tucci/Divulgação)

O cantor e músico José Paes de Lira, mais conhecido como Lirinha, participará do programa Sonora Coletiva nesta quinta-feira (dia 25), às 19h. A atração será transmitido pelo Canal multiHlab, no YouTube, onde é realizado o projeto, vinculado à Revista Coletiva, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Participarão dessa conversa os pesquisadores Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto.

Eles vêm desenvolvendo atividades no âmbito do Núcleo de Imagem, Memória e História Oral (NIMHO), do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira (Cehibra), coordenado por pesquisadores da Fundaj, entre eles Sylvia Couceiro e Cristiano Borba, registrando depoimentos de personagens que fizeram trabalharam com música em Pernambuco entre 1970 e 2000.

Originalmente um podcast, no atual formato transmitido pelo Youtube, o Sonora Coletiva tem a música e a poesia como dois de seus temas centrais. Como explica o pesquisador Túlio Velho Barreto: 

"A participação de Lirinha dá continuidade à série do Sonora iniciada no bate-papo sobre a chamada 'cena psicodélica pernambucana' com o jornalista e pesquisador Bento Araújo. Essa perspectiva foi ampliada com os compositores, músicos e cantores Romulo Fróes e José Miguel Wisnik, tendo o último tratado ainda de nossa identidade nacional. Após a participação de três paulistas passamos a focar as trajetórias e obras de artistas pernambucanos, ou que aqui iniciaram sua carreira, como Cannibal, Karina Buhr e Antonio Nóbrega. E seguimos ampliando, agora, com Lirinha batendo um papo que inclui repentes e suas cantorias, poesia, música, teatro e cinema."

Além de álbuns e DVDs com o Cordel do Fogo Encantado, lançados entre 2001 e 2006, o primeiro produzido por ninguém menos que Naná Vasconcelos, e de seus dois trabalhos solos, de 2011 e 2015, Lirinha compôs e participou de várias trilhas sonoras de filmes, como o Lisbela e o Prisoneiro (2004), dirigido por Guel Arraes. Desde 2004, atuou, escreveu e dirigiu várias peças de teatro. E também atuou em filmes, como Deus é Brasileiro, dirigido por Cacá Diegues (2002), e Árido Movie, de Lírio Ferreira, em 2006. 

SERVIÇO
Sonora Coletiva conversa com Lirinha, com Allan Monteiro, Cristiano Borba e Túlio Velho Barreto
Quando: quinta-feira (25), a partir das 19h
Onde: Canal multiHlab, no YouTube
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Metade da população adulta nos EUA já tomou ao menos uma dose de vacina contra Covid
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 19/04
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Resumo da semana: STF mantém anulações de sentenças contra Lula, mais jovens em UTIs e CPI da Covid
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco