Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

FESTIVAL

Janeiro de Grandes Espetáculos terá 48 apresentações em formato híbrido. Confira

Publicado em: 06/01/2021 10:04 | Atualizado em: 06/01/2021 11:55

Os espetáculos Desobediência e Cavalo estão na programação da semana do JGE Conecta (Fotos: Divulgação)
Os espetáculos Desobediência e Cavalo estão na programação da semana do JGE Conecta (Fotos: Divulgação)


O Janeiro de Grandes Espetáculos - Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco, que agita a cena cultural do estado nos primeiros meses há 27 anos, também precisou se reinventar diante do cenário imposto pela pandemia da Covid-19. Em novo formato, batizado de JGE Conecta, o evento será realizado de forma híbrida, desta quinta-feira (7) até 28 de janeiro.

Serão 48 apresentações de teatro, música, dança e circo, sendo 35 espetáculos on-line, com exibição no YouTube, e 13 presenciais, respeitando as normas sanitárias vigentes. As perfomances ao vivo serão em três teatros do Recife: Santa Isabel, Luiz Mendonça e o recém-inaugurado Teatro do Parque. Os ingressos custam R$ 20 e estão à venda na plataforma Sympla. Algumas apresentações virtuais têm acesso gratuito. Confira abaixo a programação desta semana.

"Pensamos muito em como construir a grade de programação nessa conjuntura de pandemia, e, ao mesmo tempo, ampliar o acesso. É tempo de nos voltarmos para a nossa origem, pensar em Pernambuco e construir estratégias para que tenha em sua grade essa representatividade temporal”, destaca José Manoel Sobrinho, presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife e gerente de programação.

"Utilizamos critérios como qualidade, processo, diálogo entre territórios diferentes, representatividade regional, cultural, de gênero”, completa. O Janeiro é realizado pela Associação de Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe), com direção geral de Paulo de Castro. Para além do formato, a nova edição traz novidades ao público.

O espetáculo O Matuto, de Rapha Santacruz, é um dos representantes da arte circense no JGE (Foto: Max Levay/Divulgação)
O espetáculo O Matuto, de Rapha Santacruz, é um dos representantes da arte circense no JGE (Foto: Max Levay/Divulgação)

Neste ano, o circo se tornou uma das linguagens oficiais do evento. Também foi criado um espaço para espetáculos desenvolvidos por escolas de dança, teatro e circo, além de rodas de conversas on-line e gratuitas sobre variados temas ligados à arte, por meio de lives no Instagram, no quadro Palavração. O festival também reafirma a parceria com a Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco (Amotrans/PE). Pelo segundo ano consecutivo, o Prêmio JGE Copergás será concedido a 20 projetos que se destacaram ao longo do ano.

Como forma de ampliar o diálogo com a produção para além do Grande Recife, o JGE contou com apoio da Rede Interiorana de Produtores, Técnicos e Artistas de Pernambuco (Ripa). A ação resultou numa programação com artistas da capital, de Jaboatão, Paulista, Vitória, Surubim, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Tabira e Petrolina. As exibições virtuais permitirão ainda a presença de estados que não costumavam integrar a grade, como Ceará, Bahia, Amapá e Amazonas. Do exterior, espetáculos da Colômbia, Senegal e Eslováquia integram o roteiro.

ABERTURA
Gravada no Teatro de Santa Isabel, a abertura, às 20h de amanhã, será simbólica. O evento terá transmissão gratuita e virtual, com shows da cantora caruaruense Gabi da Pele Preta e da instrumentista recifense Laís de Assis, com apresentação da atriz Fernanda Spíndola. Oito representantes da arte pernambucana serão homenageados na festa inaugural. Na música, o maestro Ademir Araújo e a pianista Ellyana Caldas. No teatro, o escritor e dramaturgo Ronaldo Correia de Brito e a atriz caruaruense Arari Marrocos. No circo social, a artista-educadora Fátima Pontes. No circo popular, o mágico Alakazam. Na dança, o artista e pesquisador petrolinense Jailson Lima e a bailarina Cláudia São Bento.

O novo prefeito de Recife, João Campos, esteve nessa terça-feira (5) no Teatro para realizar a gravação da abertura. Na ocasião, João defendeu a importância de valorizar a cultura da cidade. “Janeiro de Grandes Espetáculos é um grande patrimônio da nossa cidade e irá acontecer mais um ano, cumprido com responsabilidade e o cuidado que o momento exige das autoridades públicas", afirmou.

ESCOLAS
A escola recifense O Poste de Antropologia Teatral apresenta, no sábado, a performance Desobediência, fruto de trabalho feito em 2019. O espetáculo traz reflexões sobre solidão, questões históricas, causas indígenas e raciais. “É um resultado da turma de 2019, mas dialoga muito com o que vivenciamos em 2020. As histórias não têm ordem cronológica e se intercalam ao longo da exibição, confrontando machismo, autoritarismo e racismo”, explica Agrinez Melo, integrante do grupo. As apresentações das escolas independentes de teatro, dança e circo serão virtuais e gratuitas. O festival sugere, entretanto, uma colaboração financeira voluntária, de qualquer valor, através do PicPay. Toda a verba arrecadada será dividida entre as dez escolas participantes da mostra.

Desobediência evidencia o corpo interpretativo a partir de matrizes ancestrais e do corpo enquanto fala, a principal característica da escola. "É um reconhecimento antropológico dessas várias culturas que se intercalam até trazer para a cena as questões atuais baseadas nas opressões que a sociedade enfrenta, nos posicionamentos políticos, históricos e sociais que se fazem necessários todos os dias, com o intuito de desobedecer um sistema que massacra as pessoas e a arte diariamente", ressalta.

A semana contará ainda com a apresentação musical de Augusto Silva & Frevo Novo e espetáculo circense Enquanto Godot não Vem…, no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, além da retomada do Teatro do Parque na programação com a performance Cavalo, do grupo caruaruense Qualquer um dos 2 Cia de Dança.

Confira a programação desta semana:
(A programação completa está disponível no site do JGE Conecta)

QUINTA (7)
19h30: abertura com shows de Lais de Assis e Gabi da Pele Preta
On-line, gratuito

SEXTA (8)
19h30: Música - Augusto Silva & Frevo Novo
Teatro Luiz Mendonça, R$ 20

21h: Teatro - Caipora quer dormir, do Grupo Mover (Brasília)
On-line, gratuito

SÁBADO (9)
16h: Teatro - Desobediência, da Escola O Poste de Antropologia Teatral -
On-line, gratuito

19h30: Dança - Cavalo, do grupo Qualquer Um Dos 2 Cia de Dança
Teatro do Parque, R$ 20

21h: Música - Chris Nolasco
On-line, R$ 20

DOMINGO (10)
10h: Palavração - Debates virtuais
On-line, gratuito

19h30: Circo - Enquanto Godot não vem...
Teatro Luiz Mendonça, R$ 20

21h: Dança - A um lugar do início, com Germaine Acogny (Senegal)
On-line, R$ 20 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem em plena pandemia vira desafio em dobro para estudantes
Enem para todos com o Fernandinho Beltrão #369 #370 Isolamento geografico, reprodutivo e genético
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 15/01
Amazonas anuncia toque de recolher
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco