Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

Teatro

Experimento virtual do Magiluth ganha temporada gratuita em parceria com o Sesc

Publicado em: 14/07/2020 16:02 | Atualizado em: 14/07/2020 16:12

 (Foto: Pedro Escobar/Divulgação)
Foto: Pedro Escobar/Divulgação

Criado para adaptar o grupo teatral pernambucano Magiluth na conjuntura do distanciamento social, o projeto Tudo que coube numa VHS: Experimento sensorial em confinamento excedeu as expectativas. Apostando na utilização de várias plataformas digitais de comunicação e de fruição de conteúdo para contar uma história, a primeira temporada foi um sucesso. Esse êxito possibilitou uma parceria com o Sesc Avenida Paulista. Juntos, eles anunciaram nesta terça-feira (14) quatro semanas gratuitas da experiência, com sessões de quinta-feira a domingo, a partir das 19h. Os ingressos serão disponibilizados a cada semana, sempre na terça-feira, no site www.sescsp.org.br/avenidapaulista.

Na primeira etapa, foram 1600 espectadores, do Brasil e mais 18 países da América do Sul, América Central, América do Norte, Europa e Ásia, entre os dias 7 de maio e 21 de junho. Os atores concluíram 48.150 minutos de encenação, tempo equivalente a mais de 33 dias. No Brasil, foram contempladas todas as regiões, com espectadores de 21 estados e 161 municípios. A dramaturgia, escrita por Giordano Castro, narra uma história de amor de forma não linear.
"Chegamos a atender 50 pessoas por dia, de terça a domingo", diz Pedro Wagner, que recentemente viveu o personagem Carniça na série Irmandade, da Netflix. "Teve gente até do Japão, então tivemos que nos atentar ao fuso horário. Foram quase dois meses nessa experiência. Se tornou algo muito grande, algo que não esperávamos”, continua. "Começamos sem grana, mas conseguimos pagar nossos salários e manter a nossa sede na Boa Vista, inaugurada há pouco tempo.

Para iniciar o experimento, o ator/performer entra em contato através de uma ligação e a narrativa é construída a partir de fragmentos enviados por meio de aplicativos como WhatsApp, Instagram, YouTube, Spotify, Deezer e e-mail. "A partir das plataformas, existe uma linha da dramaturgia que vai provocando e levando a pessoa que está participando a andar por essas ferramentas, entendendo a história que está sendo contada", pontua Giordano.

O grupo recomenda escolher um lugar silencioso, confortável e usar fones de ouvido. Um vídeo publicado no Instagram do Magiluth reúne depoimentos de vários espectadores, gravados após Tudo que coube numa VHS. Gabriel Leone, Maria Bopp, Jesuíta Barbosa, Júlia Lemmertz, Caco Ciocler, Evandro Mesquita, Hermila Guedes, Michelle Batista e Fabrício Carpinejar estão na compilação.

Formado por Giordano Castro, Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Márgio Sergio Cabral, Lucas Torres e Pedro Wagner, o Magiluth desenvolve um trabalho continuado de pesquisa de linguagem na área teatral, apresenta ao público a sua mais nova obra. O grupo completou 15 anos em 2019, celebrados com uma mostra de repertório em outubro, e inaugurou recentemente o Espaço Cultural Casarão Magiluth, na capital recifense, com mais de mil metros quadrados, para abrigar espetáculos, shows, oficinas, palestras e encontros artísticos. 

SERVIÇO
Segunda temporada de Tudo que coube numa VHS: Experimento sensorial em confinamento
Quando: Quinta-feira a domingo, a partir das 19h, pela internet
Quanto: Gratuito
Informações e retirada de ingressos: www.sescsp.org.br/avenidapaulista
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Órfãos da pandemia: um retrato trágico da contaminação pelo novo coronavírus
Escolas particulares se antecipam e já organizam retorno das atividades mesmo sem data para retomada
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
É preciso tocar a vida e se safar deste problema, diz Bolsonaro sobre pandemia
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco