Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

MEIO AMBIENTE

Estudo aponta 11 trechos de praias impróprios para banho no Litoral pernambucano

Publicado em: 26/04/2022 09:32

CPRH divulga informe semanal da balneabilidade das praias pernambucanas.
 (CPRH/Divulgação)
CPRH divulga informe semanal da balneabilidade das praias pernambucanas. (CPRH/Divulgação)
O litoral Pernambucano tem 11 pontos de praias impróprios para banho, localizados nos municípios do Recife, Itamaracá, Paulista, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Tamandaré. De acordo com Agência Estadual de Meio Ambienta (CPRH), o resultado das análises apontam as praias do Pina, localizada nas proximidades do Cassino Americano, no Recife; as praias do Carmo (por detrás dos Correios) e a dos Milagres (em frente à praça do mesmo nome), em Olinda; e na praia de Candeias (nos pontos em frente ao conjunto residencial Candeias II e ao Restaurante Candelária) e na praia de Barra de Jangadas (em frente ao Nº 1080, antiga Marina dos Mares), em Jaboatão dos Guararapes, todos os trechos devem ser evitados pela população.

De acordo com os resultados das análises, em Itamaracá, o banho deve ser evitado em frente à Igreja do Pilar. Na cidade do Paulista foram detectados três locais: em Maria Farinha (em frente ao Cabanga Iate Clube) e na praia do Janga (em frente às ruas Claudio S Bastos e Betânia). Já no município de Tamandaré, o banho deve ser evitado em frente à estátua que fica na Rua Nilo Gouveia Filho. Os outros trechos monitorados foram considerados próprios ao banho de mar.

Segundo a gerente do laboratório, Andréa Shirley Xavier da Silva, a amostragem é feita semanalmente e as análises são realizadas conforme o estabelecido por métodos para o exame da água para coliformes termotolerantes.

“A classificação das praias é baseada no que estabelece a Resolução Conama nº 274/00, que define padrões de qualidade da água destinada à balneabilidade. O critério de enquadramento baseia-se nas concentrações de coliformes termotolerantes em um conjunto de amostras de cinco semanas consecutivas ou em cinco amostragens com intervalo mínimo de 24 horas entre elas”, pontuou.

O Programa de Monitoramento da Qualidade das Praias de Pernambuco, atualmente, conta com 50 pontos de amostragem distribuídos em onze municípios do litoral pernambucano. Este é o primeiro boletim de balneabilidade emitido pela CPRH com as análises das amostras processadas nas novas instalações do Laboratório Professor Adaucto Silva Teixeira, inaugurado no início do mês de março deste ano.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco