Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

SISTEMA SOCIOEDUCATIVO

Jovens da Funase recebem ações de conscientização sobre LGBTfobia

Publicado em: 27/07/2021 12:18

 (Funase/Divulgação)
Funase/Divulgação
Ações de conscientização sobre a LGBTfobia entre adolescentes e jovens atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) estão ocorrendo na instituição. De acordo com o Núcleo de Justiça Restaurativa (NJR), o objetivo é disseminar uma cultura de paz e de promover a reflexão e a responsabilização. As ações são sistemáticas e neste primeiro semestre, impactaram 166 pessoas dentro do sistema socioeducativo do Estado, número que considera a soma de todos os encontros e temáticas abordados.

“Os sistemas de privação de liberdade não são ilhas. Essas temáticas de relevância social estão dentro das nossas instalações, seja porque atendemos jovens LGBTQIA+, seja porque recebemos adolescentes que cometeram atos infracionais contra pessoas desse público. E o processo socioeducativo passa também pelo esforço de se colocar para esses jovens enquanto proposta de mudança de mentalidades e de busca por uma sociedade com vidas menos ameaçadas”, avalia a presidente da Funase, Nadja Alencar.

Além dos adolescentes, os servidores da Funase também são público-alvo desse processo. No ano passado, uma parceria com o Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH) viabilizou uma capacitação sobre o assunto. Já em junho de 2021, o tema foi debatido em encontro virtual do NJR com profissionais do sistema socioeducativo, tendo como convidado o palestrante Alberto Magalhães, do Coletivo de Juventude Negra Cara Preta. Vale ressaltar ainda que a temática compõe o conteúdo do módulo “Ética Profissional e Direitos Humanos” e do curso “Justiça Restaurativa”, ministrados mensalmente em capacitações para os servidores.

A presidente da Funase ainda afirmou que o esforço de conscientização deve mobilizar toda a sociedade. “Os desafios são enormes, mas posso dizer que temos encarado essa demanda com muito trabalho, por meio do Núcleo de Justiça Restaurativa, que é uma iniciativa séria, instituída por portaria em Diário Oficial. Ou seja, não é uma ação de uma gestão. É algo que veio para ficar, uma demonstração do compromisso que temos em fomentar essa e outras discussões de forma prática, na ponta, e também sob o viés acadêmico, como o NJR tem feito. E contamos muito com a colaboração de instituições parceiras, que realizam atividades importantes com a comunidade socioeducativa. Estamos abertos, inclusive, a mais parcerias que nos ajudem nesse trabalho”, diz.

Iniciativas desenvolvidas por instituições parceiras também contribuem com o trabalho. Em 2020, segundo a Funase, foi realizado o projeto Curta Casem Rosarinho, que proporcionou a socioeducandos o contato com filmes que abordam a temática LGBTQIA e a construção de um roteiro de curta-metragem com a proposta de conscientizar sobre o assunto. A ação foi promovida juntamente com o Programa Exibição de Cinema Social (Preciso) e com a Amparo Jurídico e Defesa Social (Ajuds). A mesma parceria também já levou para as unidades socioeducativas discussões sobre machismo, feminismo, paternidade, família e redução de danos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: deputado estadual Diogo Moraes (PSB) e o cardiologista Marco Antônio Alves
Consumo de carne de cachorro sob reavaliação na Coreia do Sul
Manhã na clube: entrevistas com Mendonça Filho (DEM), Vitor Moura e Jailson Silva
Combate à gordofobia vira lei no Recife
Grupo Diario de Pernambuco