Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

PATRONATO

Reeducandos do regime aberto iniciam atividades na CTTU

Publicado em: 09/06/2021 12:56

 (Divulgação)
Divulgação
Mais uma empresa abre espaço para a mão de obra de reeducandos do regime aberto acompanhados pelo Patronato Penitenciário, órgão da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH). É a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), que já mantém convênio com a Seres com pessoas do regime semiaberto, e agora inicia com um novo público. Os dois reeducandos  ficam responsáveis pela reposição de placas de sinalização nas ruas e pela manutenção, pintura, serviços de eletricista, entre outros, nas unidades da autarquia. O horário de trabalho é de segunda a sexta, das 8h às 17, e aos sábados, das 8h às 12h.

Pelos serviços eles são remunerados com um salário mínimo R$ 1.100,00, mais alimentação e transporte. "Cada novo posto de trabalho conseguido para uma pessoa que vem buscando se reinserir na sociedade é uma grande vitória”, comenta o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

A prefeitura do Recife é uma das que mais absorvem a mão de obra de reeducandos do regime aberto, contando atualmente com 173 na Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), e agora dois na CTTU.

SERES
A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) já mantém convênio com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), emprega nove pessoas privadas de liberdade (PPLs) - sendo três mulheres e seis homens - do regime semiaberto. As atividades realizadas são serviços gerais (limpeza e conservação) e manutenção predial, incluindo reparo em construção civil, elétrica, hidráulica, pintura e acabamento em gesso.

O regime de trabalho para os que atuam nos serviços gerais é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os demais trabalhadores cumprem a mesma jornada, porém com acréscimo do sábado, das 8h às 13h. As PPLs têm direito à remição de pena na proporção de um dia a menos a cada três trabalhados e recebem 75% do salário mínimo. De acordo com a Lei de Execuções Penais, 25% do valor ficam retidos no pecúlio para serem liberados quando o reeducando ganhar a liberdade.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Protesto em Brasília acaba com conflito entre indígenas e policiais
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras, Sérvio Fidney e Marcel Costi
Vacina contra a Covid-19 criada em Cuba tem eficácia de 92%
Pontos fundamentais para fazer uma transição de carreira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco