Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Central de Transplantes

Webpalestra discute doação e transplantes de órgãos

Publicado em: 06/10/2020 08:46

 (Foto: Karolinska University Hospital/AFP.)
Foto: Karolinska University Hospital/AFP.
No Estado, cerca de 95% dos transplantes são realizados no Sistema Único de Saúde (SUS), que também garante o acompanhamento pré e pós-operatório, além das medicações (imunossupressores). Mesmo com o fim do setembro verde, mês alusivo à doação de órgãos e tecidos, o tema continua em debate. Nesta terça-feira (6), a partir das 16h30, ocorre a webpalestra "Doe órgãos, doe vida: a relevância do SUS para o processo de doação e transplantes".

O evento online tem a participação da coordenadora da Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), Noemy Gomes, e o coordenador da unidade de transplantes do Imip, Amaro Medeiros. A transmissão, aberta ao público, é pelo youtube da Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE): https://www.youtube.com/esppe.

"O SUS garante toda a linha de cuidado para o paciente que precisa de um transplante e para garantir a qualidade de vida após o procedimento. Nós também temos toda uma logística para garantir que os órgãos possam vir de outros Estados ou do interior pernambucano com a segurança necessária para serem transplantados no Recife, além de, permanentemente, estar discutindo os protocolos e atualizando os profissionais", afirma a coordenadora da CT-PE, Noemy Gomes.

A coordenadora lembra que os programas de transplantes estão funcionando normalmente e que, mesmo no período mais crítico da pandemia da Covid-19, todos os procedimentos de urgência estavam sendo realizados. Entre janeiro e agosto, foram feitos 511 transplantes em Pernambuco. Foram 208 de córnea (500 em 2019 || diminuição de 58%), 129 de medula óssea (165 em 2019 || - 22%), 101 de rim (255 em 2019 ||- 60%), 47 de fígado (106 em 2019 (- 56%), 14 de coração (35 em 2019 || - 60%)e 1 de rim/pâncreas (6 em 2019 || - 83%), além de 11 de válvula cardíaca (15 em 2019 || - 27%).

Já a fila de espera conta com mais de 1,4 mil pacientes, sendo 1.160 aguardando um rim, 131 córnea, 130 fígado, 39 medula óssea, 16 rim/pâncreas e 13 coração. "É importante que, em vida, possamos informar aos nossos familiares sobre o desejo da doação, ajudando para que esse desejo, e direito, seja respeitado em um momento difícil e de extrema dor. Reforço que todo o processo, desde o diagnóstico de um potencial doador até o transplante em si, segue protocolos rígidos que garante a segurança para todos os envolvidos", frisa Noemy Gomes.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista Dr. Felipe Dubourcq, urologista
Polícia Federal vai usar drones para fiscalizar irregularidades nas eleições
Rhaldney Santos entrevista Dr. João Gabriel Ribeiro, neurocirurgião
Rhaldney Santos entrevista Armando Sérgio (Avante)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco