Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Educação

Justiça mantém suspensão de volta às aulas na rede estadual

Publicado em: 07/10/2020 18:23 | Atualizado em: 07/10/2020 18:56

 (Foto: Brenda Alcântara/Arquivo DP)
Foto: Brenda Alcântara/Arquivo DP
O desembargador Fábio Eugênio Dantas extinguiu, nesta quarta-feira (7), a Ação de Reclamação interposta pelo Estado de Pernambuco pedindo a impugnação da decisão proferida pela 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, no sentido de suspender o retorno das aulas presenciais.

Na Reclamação, o Estado de Pernambuco alega que a decisão da 5ª Vara da Fazenda Pública afronta a autoridade da decisão anterior, proferida pelo próprio desembargador, nos Autos da Ação Cível, em que foi reconhecida a abusividade da greve deflagrada em 30 de setembro pelos servidores da educação.

Na decisão de hoje, o desembargador explica que “a Ação Cível originária ajuizada pelo Estado de Pernambuco tem por objeto o encerramento da greve deflagrada em 30 de setembro de 2020 pelos servidores da educação, enquanto, ao que se compreende, a Ação Civil Pública apresentada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe) tem por objeto a suspensão dos efeitos do Decreto nº 49.480, de 22/09/2020”.

O desembargador esclarece ainda que “as pretensões formuladas na Ação Cível originária ajuizada pelo Estado de Pernambuco e na Ação Civil Pública apresentada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado De Pernambuco (Sintepe) não são antagônicas. Assim, o ato reclamado não afronta à autoridade da decisão indicada como paradigma”. E acrescenta que “a eficácia inibitória e declaratória da abusividade do movimento grevista, por evidente, permanece hígida. Como válida e eficaz permanece a multa imposta para o caso do seu descumprimento”.

Em sua conclusão, o magistrado considera que “é inviável o manejo de reclamação constitucional para garantia da autoridade de suas decisões quando calcada na transcendência dos motivos determinantes das decisões" . De acordo com o desembargador Fábio Eugênio, mesmo com a extinção da Ação de Reclamação, o Estado de Pernambuco poderá entrar novamente com o pedido utilizando o recurso cabível.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista João Campos (PSB)
Rhaldney Santos entrevista o engenheiro Celso Cunha
Rhaldney Santos entrevista Victor Assis (PCO)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #177 - Peixeis ósseos e cartilaginosos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco