Urbanismo Recife dá primeiro passo na construção do Plano de Desenvolvimento Urbano da RMR

Publicado em: 11/07/2019 18:20 Atualizado em:

Foto: Divulgação/Prefeitura do Recife.
Foto: Divulgação/Prefeitura do Recife.
Esta quinta-feira (11) foi marcada pelo início de uma discussão necessária para o Recife e toda a Região Metropolitana. A construção do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) pretende instituir diretrizes para o planejamento de ações estruturadoras para os 15 municípios que compõem a RMR. A iniciativa faz parte de uma agenda que acontecerá ao longo deste segundo semestre sob a coordenação do Governo de Pernambuco, por meio da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem). A audiência foi realizada em parceria com a Prefeitura do Recife e foi aberta ao público em geral, com cerca de 200 participantes.

"A partir do PDUI, vamos aperfeiçoar o modelo de gestão, com uma visão ainda mais estratégica do desenvolvimento metropolitano. Ações de mobilidade, saneamento, habitação e tantas outras devem e serão elaboradas de forma macro, juntando as forças dos 15 municípios, para construirmos o futuro que precisamos e desejamos", comentou o secretário de Planejamento Urbano do Recife, Antônio Alexandre.

O Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) está previsto no Estatuto da Metrópole devendo apontar caminhos para o desenvolvimento e ordenamento do território metropolitano. Ao final de um processo participativo, que será conduzido pela Agência Condepe/Fidem, o documento deverá reunir diretrizes e regras para a melhoria das condições socioambientais e da infraestrutura da região.

Para esta fase de construção do PDUI, os municípios da RMR têm a missão de articular e realizar audiências públicas sobre as etapas, desafios e insumos técnicos. "Com áreas limítrofes que se confundem, com desafios que se assemelham, é de extrema necessidade pensar o futuro metropolitano do ponto de vista do seu planejamento urbano integrado, envolvendo todos os municípios", explica Antônio Alexandre.

A apresentação sobre o recorte urbanístico da metrópole estará dividida em três perspectivas: físico-territorial, socioeconômica e governança metropolitana. O objetivo central é que a RMR possa contar com um conjunto de normas que auxiliem no crescimento ordenado da cidade, observando suas potencialidades e indicando alternativas para o enfrentamento dos desafios.

"Fizemos a revisão do nosso Plano Diretor, do Plano de Saneamento Básico e estamos próximos de finalizar o Plano de Mobilidade Urbana do Recife e o Plano de Habitação de Interesse Social. Ambos contaram com um processo amplo e intenso de participação e que nos permitiu o levantamento de dados que já estão à disposição da Condepe/Fidem para a elaboração do Plano Metropolitano", completa.

Os demais municípios da RMR também estão realizando suas audiências públicas. A agenda estabelecida pelo Conselho de Desenvolvimento Metropolitano conta ainda com a realização de três seminários específicos, instituição de grupos temáticos para aprofundamento dos trabalhos, audiências territoriais e um seminário para validação final. Todas essas etapas serão realizadas sob a coordenação da Agência Condepe/Fidem.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.