Justiça mantém solto filho de médico assassinado em Aldeia

Publicado em: 17/07/2019 17:19 Atualizado em:

Danilo Paes recebeu a liberdade provisória em dezembro - Camila Pifano/Esp. DP.
Danilo Paes recebeu a liberdade provisória em dezembro - Camila Pifano/Esp. DP.
Por unanimidade, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiu manter em liberdade Danilo Paes Rodrigues, indiciado pelo homicídio do pai, o médico Denirson Paes. O caso aconteceu em 2018, em um condomínio de luxo de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (17), por três votos. Segundo as investigações policiais, Danilo ajudou a mãe, Jussara Paes, a assassinar o pai.

Depois do crime, o corpo do médico foi jogado em um poço. Para disfarçar, segundo a polícia, ambos teriam vedado o acesso ao poço e utilizado produtos químicos, com o intuito de abafar o cheiro da decomposição. Ambos foram presos no dia 5 de julho.

Danilo irá aguardar seu julgamento em liberdade, após decisão do desembargador Antônio de Melo e Lima. O voto do magistrado foi seguido pelos outros desembargadores da sessão - Mauro Alencar e Antônio Carlos.

A decisão indefere o pedido da suspensão da liberdade provisória dada ao rapaz de 23 anos em dezembro de 2018, solicitado pela acusação. "Os magistrados consideraram o cumprimento das medidas cautelares pelo réu, bem como a permanência em endereço fixo, a inexistência de ameaça a testemunhas, a ausência de antecedentes criminais (primário) e que a liberdade foi concedida apenas após o término da instrução do processo na Justiça de Camaragibe", explica o TJPE, em nota ao Diario.

Enquanto isso, Jussara, mãe de Danilo, continua presa na Colônia Penal Feminina Bom Pastor, na Iputinga, Zona Oeste do Recife. Ela irá a júri popular, com data ainda a ser marcada pela Justiça.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.