Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local

Confira

Fim de semana tem programação gratuita no Recife

Publicado em: 12/07/2019 14:56 | Atualizado em: 12/07/2019 15:12

Exposição Propágulo 3 está em cartaz no Murillo La Greca. Foto: PCR/Divulgação.
O fim de semana no Recife terá diversas opções culturais e de lazer. Música, peças infantis de teatro, exposições, passeios e atividades de conscientização ecológica são algumas das opções disponíveis para os moradores e visitantes da capital pernambucana. Confira a agenda de eventos organizados para acontecer neste sábado (13) e no domingo (14).

O Museu Murillo La Greca apresenta a exposição “Banzo”, do artista paraibano Thiago Costa. O Paço do Frevo celebra o Mês da Mulher Negra. O Olha! Recife irá levar os participantes ao Parque Estadual Dois Irmãos no sábado, num tour de ônibus. No domingo, uma caminhada a pé pelo Centro vai mostrar a formação e a herança colonial portuguesa e holandesa na cidade do Recife. Já a programação da “Ecoférias” oferece atividades como oficinas, gincana ecológica e trilha ambiental.

Exposição “Banzo” chega ao Museu Murillo La Greca

A expressão banzo é originária das línguas quicongo e quimbundo, podendo significar: pensamento, lembrança, paixão, saudade, mágoa. A palavra dá nome à exposição do artista paraibano Thiago Costa, que está em cartaz no Museu Murillo La Greca até o dia 7 de agosto. A visitação é gratuita. A exposição é uma coletânea de obras em que Thiago Costa apresenta um novo olhar para esse sentimento. 

Serviço
Exposição "Banzo" – de Thiago Costa
De 11 de julho a 7 de agosto
Visitação gratuita

Exposição Propágulo 3 em cartaz no Murillo La Greca

O Museu Murillo La Greca abre, a partir deste sábado, a exposição Propágulo 3. A mostra é um desdobramento da revista de arte impressa homônima. O veículo, que foi criado por estudantes da UFPE, apresenta na edição atual temática focada em fotografia e identidade enquanto investigação. Propágulo 3 fica em cartaz até o dia 22 de julho

Museu Murillo La Greca
Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, 366, Parnamirim.
Abre de terça a sexta, das 9h às 12h e das 14h às 17h.
No sábado, das 15h às 18h.
Fone: (81) 3355-3129
https://www.facebook.com/MurilloLaGrecaMuseu/

Paço do Frevo homenageia o Dia do Rock e o Mês da Mulher Negra

Neste sábado (13), às 15h, o Paço do Frevo promove discussão sobre o feminino no projeto Observatório do Frevo. A programação de debates ressalta o mês de julho como o Mês da Mulher Negra, Latino-americana e Caribenha, e traz para a roda de diálogos o tema "Enlaces: Relações Culturais Entre o Frevo e Expressões Latinas". Compondo a mesa estarão Alice Alves, Anastácia Rodrigues e Suh Amorim e Tayna Fortunato, artistas que trabalham e pesquisam a música e a dança do frevo e outras expressões populares locais. O debate é gratuito e aberto à participação do público.

Na manhã do mesmo dia, e se estendendo até a tarde do domingo (14), o Paço receberá a comunidade de artistas e produtores do frevo para uma oficina de empreendedorismo criativo ministrada pelo consultor do Sebrae André Lira. O projeto gratuito, intitulado "La Ursa", utiliza a técnica de Design Sprint para tirar dúvidas, criar estratégias e soluções criativas de empreendedorismo para quem trabalha com frevo todos os dias do ano ou quem ainda pretende entrar no mercado.

Serviço
Hora do Frevo com Rodrigo Morcego e banda (Dia Mundial do Rock)
12/07, 12h | Acesso gratuito

Observatório do Frevo com Frevo e Expressões Latina (Mês da Mulher Negra, Latina e Caribenha)
13/07, 15h | Acesso gratuito
 
Design Sprint: empreendedorismo na cadeia criativa do frevo
13 e 14/07 | 10h às 12h e 13h às 15h | 14/07, 14h às 18h Inscrições gratuitas: pacodofrevo.org.br/programacao

Funcionamento – Paço do Frevo
Horários: Terça (entrada gratuita) a sexta, das 9h às 17h. Sábado e domingo, das 14h às 18h (Última entrada até 30 minutos antes do encerramento das atividades do museu).

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia).
Endereço: Praça do Arsenal da Marinha, s/nº, Bairro do Recife.
Informações: 3355-9500 e http://www.pacodofrevo.org.br/programacao

Exposição "Cinco Pontas" no Museu da Cidade
 
No Museu da Cidade, localizado no Forte das Cinco Pontas, no Bairro de São José, a exposição "Cinco Pontas" está aberta à visitação gratuita aos sábados e domingos, reunindo achados arqueológicos, pinturas e documentos que mostram a importância da fortificação em diversos momentos históricos da capital pernambucana. Em quase 400 anos de existência, o local já foi base para navegadores, depósito, prisão e quartel militar.
Neste domingo (14), acontece no museu a oficina de modelagem “Mão de Brincar-passarinho”. A atividade é recomendada para crianças a partir dos 7 anos, acompanhadas por um responsável. Não há necessidade de inscrição prévia, basta chegar ao museu cerca de 30 minutos antes do início da oficina para receber a senha e o material.

Serviço
14 de julho, 14h às 15h30 – Oficina de Modelagem “Mão de Brincar-passarinho”
Classificação para a atividade: a partir dos 7 anos.
Inscrições no local, com vagas limitadas. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes da atividade.
Endereço: Forte das Cinco Pontas, bairro de São José.
Visitação: de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 16h.

Entrada gratuita
Contato: (81) 3355-3108 - www.museudacidadedorecife.org
 
Exposição "Adriana Varejão - Por uma retórica canibal" no MAMAM
Adriana Varejão ao lado da obra Pele Tatuada à Moda de Azulejaria. Foto: Bruna Costa/DP.
O título da exposição faz referência ao vínculo da obra de Adriana Varejão com a tradição barroca. A retórica é uma estratégia recorrente do barroco, sendo um procedimento que busca a persuasão. Se o método rendeu obras e discursos suntuosos e exuberantes, a favor da narrativa cristã e do projeto de colonização europeu, a retórica canibal, ao contrário, se apresenta como um contraprograma, uma contracatequese, uma contraconquista. A mostra ficar em cartaz até o dia 8 de setembro, com visitação aberta e gratuita.

Adriana Varejão – Por uma retórica canibal
Visitação: até 8 de setembro de 2019.
Terça a sexta, 12h às 18h. Sábados e domingos, 13h às 17h
Quanto: Gratuito
Classificação indicativa: Livre
Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães / MAMAM
Rua da Aurora, 265. Informações: (81) 3355-6870

16° Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco

O festival chega ao segundo fim de semana de exibição de espetáculos para a criançada. As peças ocupam os teatros de Santa Isabel, Barreto Júnior e Luiz Mendonça, sempre às 16h30. Os ingressos para os espetáculos estão à venda nas bilheterias dos teatros. O jornalista, escritor e membro da Academia Pernambucana de Letras Cícero Belmar é o homenageado deste ano. Um reconhecimento a seu trabalho dedicado ao teatro e à literatura do segmento.
 
Teatro de Santa Isabel
Praça da República, 233 – Santo Antonio
13 e 14/07 – Meu Reino Por Um Drama         
Teatro Luiz Mendonça
Parque Dona Lindu - Av. Boa Viagem, s/n, Boa Viagem

13 e 14/07 – O Segredo da Arca de Trancoso
Teatro Barreto Júnior
Rua Est. Jeremias Bastos – Pina

13 e 14/07 – A Batalha da Vírgula Contra o Ponto Final
Ingressos à venda nas bilheterias dos teatros.
Valor: R (inteira) e R (meia-entrada) para crianças a partir de 02 anos, estudantes, professores e idosos apresentando a carteira.

Informações: (81) 99418-0025 (WhatsApp)
https://www.facebook.com/festivaldeteatroparacrianca/

TURISMO E LAZER

No sábado (13), os inscritos serão levados de ônibus ao Parque Estadual Dois Irmãos, que é considerado um dos maiores exemplos na área de estudos e preservação ambiental, cobrindo uma área de 348 hectares. A saída será às 9h na Praça do Arsenal.

O Olha! Recife, em parceria com a Associação Nacional de História (ANPUH), fará uma caminhada a pé, neste domingo (14), às 14h, apresentando a história da formação da cidade. Durante o roteiro, os participantes vão conhecer ruas e arquiteturas histórias, passando pelo Bairro do Recife, Cais do Imperador, Pátio de São Pedro, Mercado de São José, entre outros. Esse roteiro tem saída da Praça do Arsenal.

As inscrições serão na sexta (12), a partir das 9h, pelo site www.olharecife.com.br. Os passeios são gratuitos, mas é solicitado que os participantes levem leite ou café em pó, mantimentos que serão doados a instituições de caridade.

Serviço
Olha! Recife de ônibus (sábado)
Tema: Parque Estadual Dois Irmãos
Dia: 13/07
Hora: 9h
Saída: Praça do Arsenal

Olha! Recife a pé (domingo)
Tema: Formação e Transformação do Recife
Dia: 14/07
Hora: 14h
Saída: Praça do Arsenal

MEIO AMBIENTE

O Jardim Botânico, na Zona Oeste, e o Econúcleo Jaqueira, na Zona Norte, oferecem neste sábado (13) e domingo (14) diversas ações que prometem agradar os visitantes com muitas atividades, conciliando a temática da preservação e conservação da natureza com o clima das férias. Toda programação é gratuita.

Jardim Botânico do Recife
 
Sábado (13)
9h às 09h30 – Inscrição
9h30 – Gincana Seletiva
10h30 às 12h - Oficina de escrita criativa “Jô e o Verde do Recife” – Auditório
13h às 13h30 – Inscrição
13h30 – Brincadeiras de Antigamente
15h – Contação de histórias: Jô e o segredo das árvores

Domingo (14)
9h às 9h30 – Inscrição
9h30 – Brincadeiras de Antigamente
10h30 – Cordelizando com a Turma Mangue e Tal (oficina de Cordel)
11h10 - Contação de histórias: Jô e o segredo das árvores
13h às 13h30 – Inscrição
13h30 – Histórias Cantaroladas (Repertório de Luiz Gonzaga)
14h – Caminho DiVersos com OTTO e seu gato Ulisses
15h – Oficina de mudas com bombinhas de sementes

Jardim Botânico do Recife
BR 232, km 7,5 - Curado
De terça a domingo, das 9h às 15h30
Entrada gratuita

Econúcleo Jaqueira

Sábado (13)
9h às 9h30 - Inscrição
9h30 – Apresentação do espaço sustentável com fantoche da turma Mangue e Tal - Dom
10h - Ressignificando: caixinhas de surpresas
11h - Oficina de hortas caseiras
13h30 às 14h – Inscrição
14h - Apresentação do espaço sustentável com Dom, personagem da turma Mangue e Tal
14h30 – Trilha Lúdica Ambiental “Trilha de histórias”
16h – A Turma Mangue e Tal no Mundo das Xilogravuras

Domingo (14)

9h às 9h30 - Inscrição
9h - Meditação com o grupo Sahaja Yoga
9h às 09h30 – Inscrição
10h– “ECOideias” oficina de vasos ecológicos (vasos com casca de coco verde)
11h – Jogo do “espelho d’água” com a turma mangue e tal;
13h30 às 14h – Inscrição
14h – Gincana Mangue e Tal
15h – Em cena verde: Dom e a máquina do tempo
16h – Sala de ECOinteratividade: Recife Limpeza

Econúcleo Jaqueira
Rua do Futuro, 959 - Jaqueira
De quinta a domingo, das 9h às 17h
Entrada gratuita
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Sobre Vidas: Nivia e o empoderamento de mulheres no Coque
DP Auto na Tóquio Motor Show - Tudo sobre a Nissan
Sérum, pele natural, sombras coloridas e blush cremoso
Lula: sou um homem melhor do que aquele que entrou na cadeia

Resistência nordestina em cartaz

Diego Rocha *
Celebrando a resistência da arte nordestina e a arte nordestina de resistir, o 21º Festival Recife do Teatro Nacional está em cartaz na cidade para confirmar a vocação de um povo à resiliência e à criatividade. Até o próximo dia 24, a programação montada com muita assertividade pela Prefeitura do Recife irá apresentar 12 espetáculos em vários teatros da cidade, entre eles seis montagens nacionais jamais vistas na capital do Nordeste.
Mas não está toda no ineditismo a urgência que esses espetáculos carregam. Mas também e principalmente na referência e reverência que muitos fazem à estética e às temáticas fincadas no árido solo fértil do Nordeste. Alguns textos, como o da montagem Ariano %u2013 O Cavaleiro Sertanejo, da companhia carioca Os Ciclomáticos sequer foram produzidos no Nordeste. Mas sabem, bebem e comungam do povo que somos. Foram buscar inspiração em autores ensolarados como Ariano Suassuna e os tantos tipos e símbolos que ele fundou e transportou do imaginário nordestino para o mundo.
Há na programação citações ainda mais explícitas à nossa produção teatral. Parido do punho do próprio Ariano, em carne e pena, o clássico Auto da Compadecida chega ao Festival com sotaque mineiro, numa belíssima montagem do Grupo Maria Cutia, com a direção cênica precisa e sensível de Gabriel Villela, que conseguiu unir a cultura do cangaço pernambucano ao barroco mineiro, sem sair da trilha aberta pelo Movimento Armorial de Ariano.
São montagens que nos representam e, ao mesmo tempo, nos apresentam a nós mesmos, além de nos hastear bandeira a congregar territórios artísticos, afetivos e cívicos, num país assombrado e repartido por um projeto de poder excludente. Em cima e embaixo dos palcos, durante e depois do 21º Festival Recife do Teatro Nacional, que a arte e a força nordestina persistam farol aceso a nos guiar.

* Presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife

Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco