Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Últimas notícias de Publieditorial
#PernambucoMelhor Sopão solidário é exemplo de cuidado pelo próximo

Por: Marília Simas

Publicado em: 20/11/2015 16:32 Atualizado em: 28/09/2016 17:47

 (Crédito: Marília Simas)


Todos os dias há a possibilidade de se fazer o bem. Não é necessário grandes mudanças ou muito esforço, o ingrediente principal para fazer a diferença é ter antes de tudo força de vontade. Basta olhar ao redor e ver que a todo momento tem gente realizando ações e práticas de solidariedade, que pode ser desde um pequeno gesto de gentileza até uma grande mobilização social. 

O mestre de obras José Everaldo da Silva, 46, e a filha Elaine da Silva, 28, que moram no bairro de Fundão, na Zona Norte do Recife, são pessoas que têm ajudado muita gente. Todas as segundas-feiras, no final da tarde, eles se juntam a um grupo de voluntários e saem para distribuir sopa em sete comunidades da cidade. A iniciativa surgiu quando Elaine e uma amiga sentiram a necessidade de realizar alguma ação para ajudar o próximo. "Pensamos em fazer uma sopa, mas ficamos receosas, porque dá muito trabalho e naquela época a gente ainda estudava. Aí a mãe da minha amiga disse que se a gente quisesse fazer realmente a sopa, ela ajudava cortando as verduras, e de repente as coisas começaram a dar certo. A ideia era fazer essa ação uma vez por mês, mas acabou sendo todas as segundas", explicou.

Para colocar a ideia em prática, foi preciso arregaçar as mangas e dar início aos pedidos de doações. O trabalho porta a porta foi fundamental. Elaine e "seu" Everaldo começaram a recrutar alguns amigos que tinham o interesse em ajudar, e, de repente, se depararam com um grupo que a cada semana só faz crescer. Tanto, que o projeto que existe há dois anos precisou mudar de endereço, pois, no início, a sopa era feita dentro da casa de uma das voluntárias. Hoje, o sopão tem um espaço que pertence ao mestre de obras e possui cerca de 20 voluntários que se dividem entre a arrecadação de donativos, o preparo e a distribuição.

De acordo com José Everaldo, realizar esse trabalho é hoje uma prioridade em sua vida e mesmo tendo que se dividir entre a profissão e essas atividades, a ideia é continuar com o sopão por muitos anos. "Como a gente vive dentro dessas comunidades, vemos com muita frequência pessoas que precisam dessa ajuda. Todas as vezes que saímos para fazer as entregas nos emocionamos, porque a gente se depara com a realidade em comum de tanta gente. Nós conseguimos alimentar cerca de 1.200 pessoas todas as segundas e eles já esperam por a gente. Esse trabalho é muito gratificante, não há coisa melhor que poder ajudar o próximo", revelou.

O trabalho para colocar a sopa de Maria, como é conhecida, na rua começa muito antes do que muita gente pensa. Para estar pronta na segunda, o preparo começa a ser feito no domingo à tarde. Atualmente, são distribuídos cerca de 600 litros de sopa, 900 pães, 80 litros de suco e 10 litros de café. Todo o material da sopa são fruto de doações. Quem quiser participar da Sopa de Maria pode chegar a partir das 19h30, na Rua Major Davino, número 9, no bairro de Fundão.


TAGS:
Rhaldney Santos entrevista João Paulo (PCdoB)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Rhaldney Santos entrevista Dr Carlos Romeiro, ortopedista
Rhaldney Santos entrevista Celso Muniz (MDB)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco