Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ZONA FRANCA DE MANAUS

Bolsonaro faz manobra para derrubar Marcelo Ramos da Mesa Diretora da Câmara

Publicado em: 09/05/2022 19:04

 (Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados)
Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados
O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PSD), disse que o "desejo do presidente" Jair Bolsonaro (PL) é que o parlamentar amazonense "troque a manutenção no cargo de vice por silenciar em relação à ZFM (Zona Franca de Manaus)". A declaração foi feita nesta segunda-feira (9), após vir a público a pressão do presidente dentro do PL, atual partido de Bolsonaro e ex-legenda de Ramos, para derrubar o deputado federal do cargo de vice-presidente da Casa.

A pressão do PL tem como base dispositivo do regimento da Câmara que prevê que o integrante da Mesa Diretora que mudar de partido perde o cargo, por efeito. No entanto, uma decisão da Câmara de 2016 mudou a regra e passou a permitir a troca de partidos, desde que para o mesmo bloco político interno.

Retaliação
Precavido, Ramos recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o ministro Alexandre de Moraes concedeu liminar que permite ao vice-presidente se abster de acatar qualquer decisão do PL que culmine no afastamento da Mesa Diretora. Cabe recurso à decisão.

“O desejo do presidente é que eu troque a manutenção no cargo de vice por silenciar em relação à ZFM. Não me curvarei nem trocarei o futuro do meu estado por cargos. Seguirei lutando pelos empregos, pelas escolas, pelos hospitais, pela floresta, pelo futuro do Amazonas”, disse Ramos, classificando a atitude do presidente como retaliação às críticas que faz ao seu governo, em especial à suspensão dos decretos que reduzem o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e que impactam negativamente a Zona Franca de Manaus (ZFM).

Eleito com 396 votos dos colegas em seu primeiro mandato, Ramos foi eleito na chapa de Arthur Lira (PP), para exercer a função até o final deste ano, ou seja, ao final da legislatura.

Covid-19
A ida de Bolsonaro para o PL é um capítulo à parte na briga com Ramos, que, ao saber da filiação, pediu desligamento da sigla e migrou para o PSD, cujo expoente em 2020 foi o senador Omar Aziz, voz crítica ao governo durante o período em que presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19. A mudança foi oficializada em fevereiro deste ano.

Na semana passada, Aziz disse não acreditar que o presidente iria prejudicar "todo um estado no qual ele teve mais de 60% dos votos por causa de uma pessoa", disse o senador, referindo-se ao embate diante da crise provocada pela pandemia, inclusive, com milhares de mortos, por falta de oxigênio em Manaus, capital do Amazonas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com a dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Grupo Diario de Pernambuco