Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

INTERFERÊNCIA

Michelle Bolsonaro favoreceu empresas amigas com empréstimos da Caixa, diz revista

Publicado em: 01/10/2021 15:30

 (Foto: Alan Santos/PR)
Foto: Alan Santos/PR
De acordo com informações da Revista Crusoé, a primeira-dama Michelle Bolsonaro favoreceu negócios de pessoas próximas à família presidencial no momento mais crítico da pandemia de Covid-19, agindo pessoalmente para facilitar a concessão de empréstimos liberados pela Caixa Econômica Federal. 

Segundo a revista, os pedidos para a liberação dos empréstimos a  saíram do gabinete da própria Michelle, que teria registrado a solicitação por e-mail e até mesmo conversado diretamente com o presidente do banco, Pedro Guimarães, num gesto que ataca frontalmente os princípios da básicos da administração pública, como o da impessoalidade, por exemplo.

A lista de empresários inclui, por exemplo, a dona de uma rede de confeitarias em Brasília, Maria Amélia Campos, que entregava seus produtos no Palácio do Planalto. O florista que atende Michelle e um “promoter” conhecido por organizar recepções e eventos também receberam tratamento especial em nome da primeira-dama.

Os indicados pela primeira-dama furaram a fila dos interessados em empréstimos da Caixa e o tratamento diferenciado foi detectado pelos sistemas de controle do próprio banco, que decidiu investigar o que estava acontecendo. Identificou-se então que algumas empresas foram indicadas pela sigla PEP, que significa “pessoa exposta politicamente”. Ao verificar a informação, a equipe chegou ao nome de Michelle Bolsonaro. 

A maioria das operações financeiras, de acordo com a revista, foi feita em uma agência localizada no município de Taguatinga, cidade vizinha a Brasília, após Pedro Guimarães encaminhar as solicitações da primeira-dama. A imensa maioria foi atendida logo em seguida, segundo documentos da própria Caixa Econômica. 

Todos os integrantes da lista de Michelle foram atendidos pelo Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), à época ainda recém-criado pelo Governo Federal.

Algumas das solicitações, segundo a reportagem, partiram do gabinete de Michelle Bolsonaro, junto aos documentos necessários para a liberação. Não foram encontrados indícios de que os valores liberados ultrapassam os limites, ou que as empresas não poderiam ser atendidas. Entretanto, o trâmite dos processos, quer dizer, “o furo na fila”, contrariou as regras e pulou etapas que precisam ser obedecidas por solicitantes comuns.

A Caixa Econômica Federal informou que, tratando-se do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, a Receita Federal realiza uma avaliação de enquadramento e notifica as empresas validadas antes da fase de análise de crédito dos bancos operadores do programa. 

“Apenas as empresas indicadas e munidas de aprovação pela Receita Federal passam pelo rito de governança da Caixa quando da solicitação do crédito, o que inclui análise por sistema de riscos, em um processo totalmente automatizado e sem interação humana. Ao todo, foram concedidos mais de 22 bilhões de reais pelo Pronampe a mais de 240 mil micro e pequenas empresas. Ademais, na condição de banco público, a Caixa recebe, por meio de sua área de Relacionamento Institucional, solicitações como dúvidas e consultas acerca de seus produtos e serviços, que são encaminhadas para avaliação técnica e impessoal pelas áreas negociais e posterior retorno diretamente aos clientes”, declarou o banco.

Impacto político

Até o momento, o Palácio do Planalto não se posicionou oficialmente sobre o caso. Já o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) usou sua conta no Twitter para anunciar que acionou o Ministério Público Federal (MPF) contra Michelle Bolsonaro. 

“Acabo de acionar o MPF para que Michelle Bolsonaro seja investigada por tráfico de influência”, declarou o parlamentar no Twitter. “Michelle Bolsonaro interferiu na Caixa Econômica para que empresários bolsonaristas fossem favorecidos com empréstimos do governo. Vamos exigir investigação”, escreveu o deputado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
Grupo Diario de Pernambuco