Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

RINHA

Deixa de ser canalha, dispara Bolsonaro contra Alexandre de Moraes do STF

Publicado em: 07/09/2021 16:49 | Atualizado em: 07/09/2021 17:13

 ( FOTOS: EVARISTO SÁ/AFP E ANDRESSA ANHOLETE/AFP)
FOTOS: EVARISTO SÁ/AFP E ANDRESSA ANHOLETE/AFP
O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), fez com que o 7 de setembro virasse uma espécie de "terror". Com falas antidemocráticas, o chefe mor do executivo nacional assinalou, em discurso feito na tarde desta terça-feira (7), para seus apoiadores, em São Paulo, que não vai mais aceitar decisões advindas do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. 

Durante o discurso, feito aos apoiadores, na Avenida Paulista, principal corredor de São Paulo, o presidente cravou: "Ou esse ministro [referindo-se a Alexandre de Moraes] se enquadra ou ele pede pra sair. Sai, Alexandre de Moraes. Deixa de ser canalha". 

Ele continuou dizendo que qualquer decisão do ministro será declinada por ele. "Dizer a vocês que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente [ele mesmo] não mais cumprirá", bradou em discurso transmitido ao vivo via internet.

A fala contemplou ainda críticas ao ministro e ao seu trabalho. "Não se pode admitir que uma pessoa apenas, um homem apenas, turve a nossa liberdade. [Alguém precisa] dizer a esse ministro que ele tem tempo ainda para se redimir, tem tempo ainda de arquivar seus inquéritos... deixa de oprimir o povo brasileiro, deixa de censurar seu povo", insinua e pede o presidente. 

Bolsonaro aproveitou o momento para tecer críticas ao sistema eleitoral. Ele afirmou que a alma da democracia é o voto e pediu um sistema eleitoral, segundo ele, mais seguro. "A paciência do nosso povo já se esgotou. Nós acreditamos e queremos a democracia. A alma da democracia é o voto. Não podemos admitir um sistema eleitoral que não fornece qualquer segurança. Queremos eleições limpas, democráticas, com votos auditáveis e contagem pública dos votos", conclamou. 

E encerrou o discurso afirmando que não será preso e que sua vida pertence a Deus. "Preso, morto ou com vitória. Dizer aos canalhas [opositores] que eu nunca serei preso. A minha vida pertence a Deus. Mas, a vitória é de todos nós. Muito obrigado a todos. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos", finalizou. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Combate à gordofobia vira lei no Recife
Medicamento contra Covid-19 é recomendado pela OMS
Manhã na Clube: José Queiroz (PDT), Kleiton Boschi, Clarissa de França e Cristina Pires
Skate feminino decola no Brasil após Olimpíadas
Grupo Diario de Pernambuco