Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

MIGRAÇÃO

De acordo com Miguel Coelho, outros prefeitos emedebistas podem vir a migrar de partido

Publicado em: 02/09/2021 11:14

 (Jonas Santos/Divulgação)
Jonas Santos/Divulgação
O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, que anunciou sua migração do MDB para o DEM, afirmou que, assim como ele, outros prefeitos emebedistas se encontram insatisfeitos com a permanência do partido na base do PSB, Frente Popular, e podem vir a migrar. “O MDB tem mais de dez, dos vinte e poucos, prefeitos que não concordam com a manutenção da aliança com a Frente Popular, então acredito que essas travessias sejam naturais em um momento oportuno, até porque o prefeito não tem janela partidária”, disparou. As declarações foram dadas em entrevista com a Rádio Clube.

De acordo com Miguel, ao ficar na Frente Popular, o MDB escolheu permanecer em uma “zona de conforto no papel de coadjuvante”. “Estou convicto de que tomei a decisão certa”, disparou. Seu pai, o Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), era especulado para seguir a migração junto com Miguel. Apesar do senador ainda não ter se posicionado publicamente sobre a possível migração, Miguel afirmou que FBC está decidido a trabalhar na derrota do PSB nas urnas. “O comprometimento do senador Fernando é com a mudança de Pernambuco para tirar o projeto do PSB”, comentou Miguel. “A chance é zero da gente caminhar com a Frente Popular”, assinalou o prefeito.

Em âmbito nacional, o prefeito foi questionado se a aliança com Bolsonaro (Sem partido) não entraria no caminho das conversas com as lideranças pedetistas, que já tem um candidato nacional, Ciro Gomes, visto que o prefeito tem se encontrado com os presidentes nacionais e estaduais do partido, o ex-ministro Carlos Lupi e o deputado federal Wolney Queiroz, respectivamente. “Por que não podemos ter um palanque que apoie Ciro Gomes e Bolsonaro?”, questionou. “É natural que no âmbito nacional, ainda mais no primeiro turno, haja um cenário aberto”, assinalou. Para Miguel, as decisões nacionais devem ser tomadas levando em consideração o cenário estadual. “A gente não pode deixar o debate nacional atropelar o estadual. Por mais que a gente seja patriota, Pernambuco também tem que dar certo”, cravou.

O prefeito também comentou que não sabia se iria acompanhar a agenda do presidente Bolsonaro em Pernambuco,que chega nesta sexta-feira. Miguel ressaltou que sua presença ou ausência não seria uma ação política. “A melhor aliança que se pode ter na política não é a que fica nas redes sociais e sim que mostra em ações de que lado você está”, explicou. O senador Fernando irá acompanhar o presidente na viagem.

No dia 25 deste mês, a entrada de Miguel no DEM será oficializada em um evento fechado, que contará com a presença de diversas lideranças do Democratas. “A gente chega com muita humildade para poder colaborar com o projeto de mudança do estado”, comentou Miguel.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco