Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES 2022

Alessandro Vieira é confirmado como candidato à Presidência pelo Cidadania

Publicado em: 10/09/2021 14:05

 (crédito: Marcelo Ferreira/cb)
crédito: Marcelo Ferreira/cb
Em decisão unânime, a Executiva Nacional da Cidadania escolheu Alessandro Vieira (SE) como pré-candidato à presidência da República. Com discursos contundentes em sua atuação na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, o senador ganhou projeção junto à população.

Vieira colocou o nome à disposição no dia 31 de agosto, mas a possibilidade já vinha sendo analisada anteriormente pelo Cidadania, que agora oficializa sua posição oficial. A decisão também ganhou força devido a estímulos de políticos próximos ao senador.

O senador entende que boa parte dos brasileiros não desejam escolher entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Messias Bolsonaro (sem partido) para as próximas eleições, e surge como uma opção para a terceira via.

Além do trabalho na CPI da pandemia, o delegado da Polícia Civil. vem atuando como uma das mais fortes oposições de centro ou centro-direita a Jair Bolsonaro. Pelo Twitter, Alessandro criticou o presidente mesmo após a publicação da carta de retratação.

Alessandro Vieira apoiou a candidatura de Jair Bolsonaro ao Planalto, mas devido às suspeitas de corrupção no governo, especialmente na CPI, hoje marca oposição. Catapultado por movimentos que defendiam mudanças do Congresso, o senador foi eleito em 2018. Ele fez parte do Movimento Acredito e do RenovaBR e pautou sua campanha política no combate à corrupção.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco