Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

FÓRUM DE INVESTIMENTOS

Bolsonaro: Covid-19 preocupa, mas não comprometerá economia no futuro

Publicado em: 31/05/2021 12:23

 ('Ainda há riscos no curso da pandemia, mas temos feito e continuaremos a envidar nossos melhores esforços para mitigá-los', afirma o presidente. Foto: Reprodução/Youtube/Presidência do Equador)
'Ainda há riscos no curso da pandemia, mas temos feito e continuaremos a envidar nossos melhores esforços para mitigá-los', afirma o presidente. Foto: Reprodução/Youtube/Presidência do Equador
O presidente Jair Bolsonaro admitiu que os efeitos sociais e econômicos da pandemia da Covid-19 ainda são motivo de preocupação, mas destacou que, a longo prazo, a crise sanitária não deve atrapalhar o desempenho do Brasil em relação a outras economias do mundo.

“A atual crise sanitária enseja preocupações, mas não tem o poder de comprometer a longo prazo uma das maiores economias do mundo. O Brasil está, mais do que nunca, preparado para oferecer oportunidades únicas a investidores de todo o mundo por suas potencialidades, assim como por sua segurança jurídica e econômica, que busquei fortalecer durante meu governo”, afirmou o presidente, nesta segunda-feira (31/5).

As declarações ocorreram durante a cerimônia de abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2021, um evento internacional sobre atração de investimentos estrangeiros para o Brasil organizado pela Apex-Brasil, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pelo governo federal.

Bolsonaro disse que, apesar “dos naturais desafios que o país vem enfrentando” por conta da Covid-19, há evolução positiva, como o fato de mais de 65 milhões de doses de vacinas já terem sido aplicadas. “Ainda há riscos no curso da pandemia, mas temos feito e continuaremos a envidar nossos melhores esforços para mitigá-los”, destacou.

Investimentos de US$ 50 bilhões
A edição do fórum deste ano tem como meta atrair pelo menos 50 bilhões de dólares em investimentos para o Brasil e gerar no mínimo 22 mil empregos até o fim de 2022. Bolsonaro declarou que o governo trabalha para garantir a aprovação de reformas e projetos estruturantes para reduzir o Custo Brasil e que “constituam e solidifiquem redes que permitam o incremento dos negócios”.

“Trata-se de aperfeiçoar normas e políticas para melhorar o ambiente de negócios. Para isso, desenhamos soluções tributárias que asseguram a estabilidade macroeconômica em contexto de desafios orçamentários. Engajamos o setor privado, nacional e estrangeiro, na solução de nossos conhecidos gargalos logísticos e de infraestrutura”, frisou.

“Queremos, a um só tempo, maior abertura e liberdade econômicas, mais competição e maior estímulo à iniciativa privada, reservando-se ao Estado, ao mesmo tempo, o papel que lhe cabe nas várias políticas públicas essenciais ao desenvolvimento”, completou o mandatário.

Relações internacionais
De acordo com o presidente, é com esse foco que o governo tem buscado negociar acordos econômicos amplos e modernos, “que nos conectem ainda mais aos fluxos mundiais de comércio, investimentos, tecnologias e ideias”. Segundo ele, “queremos políticas públicas de êxito, internacionalmente reconhecidas e baseadas em evidência empírica, além de modernizar e tornar mais transparente e simples nossa legislação”.

Bolsonaro voltou a manifestar o desejo de que o Brasil faça parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). “Defendemos um sistema multilateral de comércio sem protecionismo, fundamentado em regras. Por isso, buscamos fortalecer a OMC (Organização Mundial do Comércio. Desejamos intensificar a interação econômica com nossa região, o que significa um Mercosul e uma América do Sul mais dinâmicos, livres e democráticos.”
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Protesto em Brasília acaba com conflito entre indígenas e policiais
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras, Sérvio Fidney e Marcel Costi
Vacina contra a Covid-19 criada em Cuba tem eficácia de 92%
Pontos fundamentais para fazer uma transição de carreira
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco