Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

PANDEMIA

ABI entra com pedido na Câmara dos Deputados por impeachment de Pazuello

Publicado em: 06/01/2021 14:18

 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) protocolou, nesta quarta-feira (6), um pedido de impeachment na Câmara dos Deputados contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Segundo o texto do documento, o general "dá repetidas demonstrações de incompetência, ineficiência e incapacidade para desempenhar as tarefas de seu cargo”.

O pedido de impeachment é assinado pelo presidente da entidade, Paulo Jeronimo, e alega ainda que Pazuello “não só não providenciou as imprescindíveis vacinas, como negligenciou até mesmo a aquisição de simples seringas para aplicá-las”. Para a ABI, além de descumprir as recomendações das autoridades brasileiras e internacionais, “o ministro viola o dever de eficiência disposto no artigo 37 da Constituição, atentando contra o direito social à Saúde”.

O documento da ABI é respaldado na Lei 1.079 de 1950. O texto, aprovado pelo Congresso há 70 anos, define os crimes de responsabilidade e admite que são passíveis da pena de perda do cargo não só o presidente da República, mas também os ministros de Estado. O pedido agora precisa ser admitido pelo presidente da Câmara dos Deputados.

Eduardo Pazuello assumiu o cargo de ministro da Saúde em 16 de setembro de 2020. Antes disso, ele havia passado quatro meses como interino após a saída de Nelson Teich do governo. Na época, o presidente Jair Bolsonaro declarou que o general passaria "um bom tempo" na cadeira de ministro, minimizou o fato de Pazuello não ter formação na área da saúde e prometeu que o general teria o auxílio de uma "equipe boa" de médicos.

Mortes por Covid-19 disparam
Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na terça-feira (5), o Brasil registrou 197.777 mortes devido ao novo coronavírus desde o começo da pandemia. Ontem, pela primeira vez em 2021, o país registrou mais de mil mortes causadas pela Covid-19 em um intervalo de 24 horas.

Ontem, o general se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro em uma reunião de última hora no prédio do Ministério da Saúde. O encontro não estava na agenda oficial do presidente e durou certa de uma hora. Também participaram do encontro os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, das Comunicações, Fábio Farias e o Advogado Geral da União, José Levi. Hoje, o chefe do Executivo disse que seringas não seriam compradas porque valor estaria muito elevado e a pasta aguardaria a diminuição dos valores.

Segundo a pasta informou, Pazuello "fez uma atualização dos cenários detalhados a respeito do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, incluindo informações sobre aquisição de seringas, agulhas e vacinas".

"Foi apresentado ao Presidente o status das tratativas com os diversos laboratórios produtores de vacina. O chefe do Executivo foi informado sobre a importação de 2 milhões de doses de vacina da AstraZeneca oriundas da Índia", divulgou a pasta.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Mundo tem recorde de mortes por Covid-19 em 24 horas
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 27/01
AstraZeneca defende eficácia em idosos depois de questionamentos
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 26/01
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco