Eleição Oposição se une contra Lula Cabral no Cabo

Publicado em: 01/09/2019 08:30 Atualizado em:

 (Lula Cabral. Foto: Divulgação)
A oposição está bem animada para tomar o poder no Cabo, em 2020 . Com o município passando por uma situação inusitada, com o prefeito Lula Cabral (PSD) cumprindo prisão domiciliar e usando tornozeleira eletrônica, sob acusação de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e gestão fraudulenta, seus adversários políticos acreditam que, unidos, poderão sim, voltar a ocupar a cadeira dele sem maiores problemas.
Elias Gomes (PSDB), por exemplo, está disposto a entrar na corrida eleitoral do próximo ano para disputar o quarto mandato de prefeito do Cabo. Ex-vereador, ex-deputado estadual e três vezes prefeito do município, ele só não anunciou a pré-candidatura agora porque acha que é muito cedo. Mas adianta: “Há um sentimento na rua de que sou o mais competitivo, com base nas pesquisas qualitativas e quantitativas que estamos fazendo. Mesmo assim, só vamos decidir mesmo em meados de setembro,” explica, dizendo que também não sabe, ainda, se permanecerá no PSDB. Betinho Gomes (PSDB), ex-deputado federal e filho de Elias, também tem o nome circulando para disputar a eleição do próximo ano, mas, acredita que o melhor candidato será o seu pai, apesar de não descartar nada por enquanto: “Vamos bater o martelo no início de janeiro quando acreditamos que todos os apoios já estarão acertados”, e entre os principais apoiadores ele cita o vereador Arimateia Jerônimo, atualmente no PSDB mas disposto a se mudar para o Solidariedade, o vereador Pastor Edilson José (Democratas) e o empresário Eduardo Cajueiro (sem partido). “A oposição vai ganhar a eleição no Cabo, não tenho dúvida, há um ambiente bem favorável à oposição”, diz Betinho, lembrando que o prefeito, Lula Cabral (PSB) cumpre prisão domiciliar monitorado com uma tornozeleira, o vice dele, Keko do Armazém (PDT), continua ligado a Cabral, com a mesma equipe de trabalho e, por isso não está bem avaliado. Pensando bem, ele tem uma bola de ferro no pé dele que é Lula Cabral, ironiza o ex-deputado federal. Apesar da animação dos oposicionistas, o advogado do prefeito afastado Lula Cabral, Ademar Regueira, entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um instrumento legal chamado suspensão de liminar para tentar atacar e derrubar as decisões do Tribunal Regional Federal (TRF5) que haviam determinado o afastamento do cargo. E aguarda a decisão que será dada pelo presidente do Supremo, Dias Toffoli, nos próximos dias. “Ele poderá reassumir o mandato”, diz Regueira. O atual prefeito do Cabo, Keko do Armazém, tem possibilidade de disputar a reeleição, caso Lula Cabral não reassuma o mandato, mas esta é outra história e ele não fala sobre essa possibilidade. Aliás, sobre nenhuma, ele simplesmente não fala sobre o isso com a imprensa. E a deputada estadual Fabíola Cabral, filha de Lula , também lembrada para entrar na disputa, não diz que sim nem que não: “Estou e estarei sempre à disposição do Cabo, mas meu foco é no meu mandato. Esse tema só será discutido no ano que vem pelo grupo. O nosso vice-prefeito eleito Keko está conduzinho muito bem a prefeitura durante o afastamento do prefeito Lula Cabral. É muito importante lembrar que Lula Cabral não está inelegível e , sendo assim, certamente será o candidato porque o povo está esperando ansiosamente por essa volta”, diz a deputada.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.