Defesa Humberto diz a parlamentares do Parlasul que STF deverá anular processo contra Lula

Publicado em: 30/09/2019 16:42 Atualizado em: 30/09/2019 17:01

Humberto falou para deputados e parlamentares do Parlasul. FOTO: Divulgação
Humberto falou para deputados e parlamentares do Parlasul. FOTO: Divulgação
O líder do PT no Senado, Humberto Costa, afirmou nesta segunda-feira (30) a deputados e senadores dos países do Mercosul que, “muito em breve”, o Supremo Tribunal Federal (STF) deverá reconhecer “a parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro” nos processos contra o ex-presidente Lula (PT) e anular as condenações impostas ao petista.“O STF vai anular o processo e dar um julgamento justo a Lula”, assegurou o senador durante reunião do Parlamento do Mercosul (Parlasul).

Para dar sustentação à sua declaração, Humberto ressaltou que o reconhecimento das arbitrariedades praticadas contra o ex-presidente, na avaliação dele, já começa a ser reconhecida pelos próprios procuradores da Lava Jato, que, de forma unânime, conforme lembrou, solicitaram à Justiça a progressão de pena de Lula do regime fechado ao semiaberto numa tentativa de esvaziar a decisão do STF.
 
“Essa decisão dos integrantes da Lava Jato de pedir a retirada de Lula da cadeia não tem qualquer preocupação com o cumprimento da lei. O medo deles é que o Supremo declare o ex-juiz Moro parcial, em ação protocolada pela defesa de Lula que será julgada em breve na Corte. Eles estão apenas se antecipando. Moro foi um juiz parcial e corrupto”, frisou o ministro. O ex-presidente está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril do ano passado.

Na sua fala na reunião plenária do Parlasul, Humberto Costa também registrou que a Lava Jato sofreu outras duas grandes derrotas na semana passada: a declaração do ex-procurador da República Rodrigo Janot, que daria um tiro no ministro Gilmar Mendes e a decisão do Supremo de que os réus delatados têm direito à última palavra durante o processo judicial. 

Na sua fala na reunião plenária do Parlasul, Humberto Costa também registrou que a Lava Jato sofreu outras duas grandes derrotas na semana passada: a declaração do ex-procurador da República Rodrigo Janot, que daria um tiro no ministro Gilmar Mendes e a decisão do Supremo de que os réus delatados têm direito à última palavra durante o processo judicial. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.