Diario de Pernambuco
Busca
Uma casa olindense de grande importância histórica

Marcus Prado
Jornalista

Publicado em: 05/07/2022 03:00 Atualizado em: 05/07/2022 05:53

Já imaginou conhecer cada cantinho (e sua fascinante história) de uma das casas mais olindenses e ilustres de Olinda, senão de Pernambuco, a casa da Rua de São Bento, que pertenceu ao herói da Restauração Pernambucana, Mestre de Campo do Terço de Infantaria de Pernambuco, João Fernandes Vieira? Um dos sobrados mais antigos e preservados da cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, hoje de propriedade do escritor, ficcionista, biógrafo, acadêmico da APL, Cláudio Aguiar, e que teve como seu antigo dono e morador o escritor e acadêmico da ABL, Joaquim de Arruda Falcão. O sobrado foi tombado em nível federal pelo Iphan como Patrimônio Histórico e Artístico de rigorosa preservação.

Quem sobe a colina de acesso ao Mosteiro de São Bento, vindo do Palácio dos Governadores, o olhar atento para o último sobrado do lado direito dessa rua, terá o mesmo gosto experimentado pelo monarca Dom Pedro II quando esteve com a sua comitiva em visita à Marim dos Caetés, em 1859. A mesma rua que foi de Edson Nery da Fonseca, Gilvan Samico, Ormindo Pires Filho e de tantos religiosos educadores beneditinos que ficaram na história. A rua mais visitada por milhares de turistas que passam por Olinda todo ano, onde se ouve o mais belo tocar de sinos do sítio histórico.  Não tem erro: na parte cimeira do sobrado há uma placa histórica informando que João Fernandes Vieira habitou e faleceu naquele imóvel.  A placa foi fixada pela primeira vez, em 1865, pelo Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), responsável pela luxuosa edição do livro. Placa inspirada num pedido de Dom Pedro. Não foi por acaso que a visita imperial privilegiava no seu roteiro pernambucano os lugares emblemáticos da nossa história. Em Olinda a sua escolha foi para o Mosteiro de São Bento e a Casa do Mestre de Campo e herói João Fernandes Vieira, ele que ficou conhecido como um dos mentores da Insurreição Pernambucana (1645-1654), que culminou com a expulsão dos holandeses das nossas terras depois das batalhas do Monte dos Guararapes. Sem esquecer a do Monte das Tabocas, em Vitória de Santo Antão, desafiadora e heroica, que teve como seu historiador o saudoso mestre José Aragão. Em 2012, seu nome foi inscrito no Livro dos Heróis da Pátria.

Conhecedor da história de Pernambuco, como raros do seu tempo, e dos feitos heroicos do morador dessa casa, o monarca que amava fotografar, fez questão de ali se demorar na calçada cujos tijolos e pedras ainda são do seu tempo, as chamadas “Pedras do Reino”.  Ainda hoje, diz o autor, “podem ser vistas dezenas de “Pedras do Reino” colocadas em toda a extensão lateral da calçada (...)”

Tudo isso e mais ainda é narrado com detalhes minuciosos numa bem conduzida escrita e pesquisa histórica, que acaba de sair do prelo, numa edição de luxo, capa dura, bilíngue: A Casa de João Fernandes Vieira, o Restaurador de Pernambuco, de Cláudio Aguiar, conhecido por sua vasta obra literária e prêmios como o Jabuti, pela dedicação ao patrimônio histórico de Pernambuco, assim como pela sua elogiada atuação durante vários anos à frente do Pen Clube do Brasil, com sede no Rio de Janeiro. No prefácio de Arno Wehling, da ABL, e confrade de Claudio Aguiar no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (RJ), foi dito que “o autor bem atendeu aos requisitos ditados por Gilberto Freyre: a obra é biografia e sociologia, além de ser, igualmente, um belo exercício de história cultural, associando memória social e cultural”. De sua parte, mestre Reinaldo Carneiro Leão, secretário perpétuo do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, num dos seus melhores textos como historiador, nos diz, no prefácio, que o livro de Cláudio Aguiar “muito provavelmente surge para a melhor compreensão do herói da Restauração Pernambucana”. O autor por certo já conta com esse livro para as bases de sustentação da futura casa olindense de muitos saberes culturais que pretende criar, uma talvez Fundação, tendo como sede a Casa de Vieira e como moldura, além das particularidades das suas dependências, feitas para durar séculos, o espaço público do entorno do sobrado. Um entorno preservado, que cumpre as leis internacionais de tombamento histórico. Um lugar de se poder desfrutar do mais belo amanhecer da cidade. É um livro de notável e perceptível importância na melhor historiografia brasileira do nosso tempo. Ostenta um polo de atração como leitura cristalizada no domínio da arte de escrever e da pesquisa. O livro, dedicado a Célia, mulher do autor, reúne fotos temáticas de minha autoria, de J. Francisco e Ítalo Didot. A versão em inglês é de Thereza Christina Rocque da Motta. A edição é da Ibis Libris (RJ).

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

A saúde no Brasil está doente! (2)

18/08/2022 às 03h00

Créditos fiscais possibilitam redução de dívida tributária

18/08/2022 às 03h00

A saúde no Brasil está doente! (1)

17/08/2022 às 03h00

A contribuição do Recife para a Fotografia moderna

17/08/2022 às 03h00

O pacote memorioso

16/08/2022 às 03h00

Aí complica

16/08/2022 às 03h00

Dissonâncias cognitivas e narrativas

15/08/2022 às 03h00

Dia da Imigração Chinesa sublima a amizade dos dois povos

15/08/2022 às 03h00

O arco-íris

13/08/2022 às 03h00

IPCA negativo

13/08/2022 às 03h00

Os teatros do Recife: de ontem e de hoje

12/08/2022 às 03h00

O Dia dos Pais e suas controvérsias

12/08/2022 às 03h00

A insensatez dos extremos

11/08/2022 às 03h00

Apostas esportivas - decreto, eleição e religião

Em ano de eleição, em que a macroeconomia e a condução política são mais importantes que uma reflexão técnica advinda de um setor que há quase 04 anos espera seu regramento, aproveitar os meses que antecedem outubro para refinar os estudos e aperfeiçoar o conteúdo do Decreto seriam tão produtivos quanto não invocar essa pauta até o pleito, mantendo o apoio cristão-conservador intocável

11/08/2022 às 03h00

"Cristo vive! Somos suas testemunhas"

10/08/2022 às 03h00

Pró-Criança 29 anos

10/08/2022 às 03h00

Os desafios do advogado contemporâneo

09/08/2022 às 03h00

Metaverso: como esse novo ambiente pode mudar nossas vidas

09/08/2022 às 03h00