Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
O desafio do transporte público

Tomé Franca
Secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Publicado em: 16/05/2022 03:00 Atualizado em: 15/05/2022 22:24

Cidades são organismos em movimento permanente. Não importa a hora, você sempre encontrará alguém em deslocamento se utilizando de vias públicas e dos modais que permitem a interligação entre as zonas urbanas. Em qualquer grande cidade do mundo, a mobilidade é um desafio que coloca à prova a capacidade da administração pública em possibilitar ao cidadão a circulação de forma ampla, segura e com o mínimo de comodidade. Uma tarefa que não é das mais fáceis, especialmente quando se trata do transporte público.

Pernambuco tem avançado neste quesito nos últimos dois anos, mesmo diante de um cenário extraordinário como a pandemia da Covid-19 que nos forçou a tomar decisões necessárias para preservar a saúde da população. Fruto daquele momento a partir da reorganização das relações sociais, passamos a ter mais ônibus circulando nas ruas para menos pessoas utilizando o serviço. Em maio de 2022, o sistema opera com 96% da frota para atender a uma demanda de 80% de usuários em comparação ao momento anterior ao início da pandemia.

Além de manter o serviço, implantamos ações estratégicas no setor que possibilitaram o acesso e a oferta regular do transporte público como a vacinação prioritária dos rodoviários; a instituição do VEM Social para garantir passagens gratuitas a quem perdeu o emprego durante a pandemia; flexibilidade na utilização do VEM Idoso ao permitir que o usuário apresente a carteira de identidade e tenha acesso ao veículo; estímulo ao horário social com redução no valor da passagem no anel A e destrave de processos licitatórios para obras voltadas à mobilidade.

Para garantir o funcionamento do sistema, o Governo de Pernambuco está pronto para investir mais R$ 200 milhões ao longo de 2022 em subsídios e compra antecipada de créditos eletrônicos junto às empresas de ônibus operadoras do sistema. Recursos para que a frota pudesse ser mantida acima da demanda e que possibilitaram aplicar uma taxa de recomposição nas tarifas cobradas menor que o índice inflacionário.

Percebemos avanços estruturais. Os terminais integrados de passageiros, sob administração do Consórcio Nova Mobi PE, vêm passando por intervenções emergenciais de limpeza e zeladoria e todos oferecerem o serviço de internet gratuita por Wi-Fi. Até o fim do ano, as estações do BRT – dos corredores Leste/Oeste e Norte/Sul – estarão em operação para possibilitar aos usuários do sistema um deslocamento melhor.

Todas as metrópoles enfrentam problemas de mobilidade. A diferença é que em Pernambuco temos coragem para encarar as dificuldades e buscar soluções.

Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Quem é Júlio Lancellotti, o padre antissistema que dá esperança aos pobres
Grupo Diario de Pernambuco