Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Compesa: 50 anos de dedicação aos pernambucanos

Manuela Marinho
Diretora presidente da Compesa. Engenheira Civil pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-graduada em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade de Pernambuco.

Publicado em: 29/07/2021 03:00 Atualizado em: 28/07/2021 21:29

Há 50 anos trabalhando pela universalização do saneamento no estado, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) está a serviço dos pernambucanos. Os desafios para levar mais água e ampliar os índices de esgotamento sanitário são imensos, especialmente em Pernambuco – estado que detém o menor balanço hídrico do país, mas eles não desencorajam o trabalho de milhares de compesianos que, com dedicação e compromisso, levam saúde e qualidade de vida aos pernambucanos para quase todo o estado, incluindo Fernando de Noronha.

Por sinal, a questão da saúde nunca esteve tão atrelada à missão da Companhia. Com a pandemia, a Compesa tem empenhado esforços para ampliar o fornecimento de água. Neste ano, mais de um milhão de pessoas foram retiradas do rodízio mais rígido na RMR, a partir de obras para aumentar a oferta de agua. Além disso, foi traçado um plano de investimento imediato de R$ 20 milhões em ações para trazer mais segurança hídrica aos sistemas, como a reativação e perfuração de mais de 30 poços profundos. E, por fim, vale destacar a obra de implantação da Adutora do Arataca que levará segurança hídrica ao Sistema Botafogo, beneficiando toda a área norte da RMR.

Quando pensamos em grandes investimentos, vislumbramos entregas importantes no ano de celebração do cinquentenário da Companhia, como o novo dessalinizador de Fernando de Noronha. O projeto integra um pacote de investimentos de R$ 22 milhões que vai beneficiar moradores e turistas. Também é momento de vibrar com os avanços de obras estruturadoras, destacando o esforço do Governo de Pernambuco para dar funcionalidade às tubulações da Adutora do Agreste antes da conclusão do Ramal do Agreste pelo Governo Federal, como as adutoras de Serro Azul, do Moxotó, do Alto Capibaribe e dos Poços de Tupanatinga.

Quanto ao desafio de elevar os índices de esgotamento sanitário, temos a expertise de uma das maiores parcerias público-privadas do país. Além de investimentos no interior que contemplam sistemas de esgotamento nos municípios às margens dos rios Ipojuca e Capibaribe, na RMR o Programa Cidade Saneada contabiliza cinco novos sistemas de esgotamento implantados e outras importantes obras em andamento.

Não por acaso, a Compesa está pronta e é uma das empresas mais preparadas no setor para a realidade do Novo Marco Legal do Saneamento. A Companhia é empresarialmente forte, possui uma governança corporativa bem implantada, capacidade de investimento e plenas condições para a captação direta de recursos. Para 2021, a previsão é investir 1,2 bilhão com foco na universalização dos serviços. Um dos aportes mais representativos é a autoprodução de energia, a partir da contratação de uma nova PPP para instalação de uma usina solar.

Para reforçar o monitoramento do abastecimento, também apostamos na tecnologia. Temos um Laboratório de Eletrônica e Automação destinado a ações que contribuem para tornar nossa operação mais eficaz e firmamos, recentemente, um convênio para segurança das áreas de morro do Recife. Por tudo isso, seguiremos trabalhando incessantemente e escrevendo os capítulos da história do saneamento. Os avanços continuarão acontecendo e os próximos 50 anos começam a ser escritos agora. Parabéns a todos que fazem a Compesa. Orgulho de ser compesiana!

Medicamento contra Covid-19 é recomendado pela OMS
Manhã na Clube: José Queiroz (PDT), Kleiton Boschi, Clarissa de França e Cristina Pires
Skate feminino decola no Brasil após Olimpíadas
Manhã na Clube: Entrevistas com Sérgio Aroucha, Cloves Benevides e Carla Bensoussan
Grupo Diario de Pernambuco