Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Beijing: primeira cidade sediando as duas versões dos Jogos Olímpicos (1)

Yan Yuqing
Cônsul-Geral da China no Recife

Publicado em: 28/07/2021 03:00 Atualizado em: 29/07/2021 15:29

No dia 4 de fevereiro de 2022, Beijing será a sede da edição XXIV dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno, que receberá competidores oriundos de vários países, perseguindo o sonho de estar no pódio. Beijing se tornará a primeira cidade a sediar as duas versões dos jogos Olímpicos (Verão e Inverno), que marcará não só um momento de orgulho para a China, como também um momento emblemático para a história das Olimpíadas.

Será encontrada uma China inovada nos Jogos de Inverno. Beijing, que ainda nos faz lembrar de impressionantes momentos vividos nas Olimpíadas em 2008, celebrará mais um festival de paixão para o mundo. O povo chinês está disposto a apresentar uma cidade enevada e uma China inovada. Os Jogos Olímpicos de Inverno de Beijing contam com 109 provas organizadas por 3 cidades em 25 estádios, entre os quais se encontram tanto construções herdadas dos jogos de 2008 como novas arenas. Na cidade de Beijing, as competições de gelo terão lugar no Ninho de Pássaro (Estádio Nacional) e no Cubo de Água (Centro Aquático Nacional), enquanto os jogos de neve serão realizados no Distrito de Yanqing da cidade, onde se estende a Grande Muralha, conhecida como a espinha dorsal da nação chinesa, e serão realizados também na cidade de Zhangjiakou, renomado pelos seus resorts de esqui.

O presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou, “temos de implementar com dedicação o novo conceito de desenvolvimento e conduzir os Jogos Olímpicos de Inverno de maneira ecológica, compartilhada, aberta e transparente durante todo o processo de organização.” O Oval Nacional de Patinação de Velocidade, também conhecido como “Fita de Gelo”, garante uma emissão quase zero de carbono graças à tecnologia sofisticada de produção de gelo por dióxido de carbono e ao sistema de monitoramento inteligente de energia. Além disso, carros de energia renovável estarão circulando e a energia eólica e solar serão amplamente aplicadas na região das competições. Aproveitando o 5G, inteligência artificial e mega-dados, os jogos serão transmitidos simultaneamente para todos os cantos do globo. Com a combinação de tradição e inovação, a China vai apresentar ao mundo uma edição tecnológica e verde.

Combate à gordofobia vira lei no Recife
Medicamento contra Covid-19 é recomendado pela OMS
Manhã na Clube: José Queiroz (PDT), Kleiton Boschi, Clarissa de França e Cristina Pires
Skate feminino decola no Brasil após Olimpíadas
Grupo Diario de Pernambuco