Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Fernando Tarciso Miranda Cordeiro

Ana Lucia Coutinho Domingues e Edmundo Pessoa de Almeida Lopes
Professores da UFPE

Publicado em: 19/05/2021 03:00 Atualizado em: 19/05/2021 07:02

Um Mestre,

Figura humana ímpar, ao mesmo tempo de fácil convívio, mas de grande cultura, educado, de princípios, que encantava a todos e aglutinava sempre....

Alagoano de nascimento, pernambucano de coração, nasceu em 23 de julho de 1938, no Engenho Conceição, município de Porto Calvo, Alagoas. Primeiro filho do casal Adolfo Tavares Cordeiro Filho e Maria Georgina Miranda Cordeiro, tendo oito irmãos mais jovens. Casou-se com Gisa, sua prima, de temperamento alegre e expansivo, que o acompanhava sempre e o completava em tudo.

Entrou na Faculdade de Medicina do Recife em 1957 e se formou médico na turma de 1962. Trabalhou em diversos hospitais do Recife, entre os quais o Oswaldo Cruz, o Hospital Pedro II, o Getúlio Vargas, o Real Hospital Português e o Hospital das Clínicas. Em 1966, foi para São Paulo fazer especialização no Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas em Gastroenterologia, com os professores Fernandes Pontes e Agostinho Betarello.

De volta ao Recife, foi trabalhar no Instituto de Medicina Tropical no Pedro II, quando surgiu uma bolsa para estudar Endoscopia na Universidade de Keio, em Tokyo, em 1970.

De volta do Japão, em 1973, defendeu a tese de doutoramento no Departamento de Medicina Clínica na UFPE e montou um Serviço de Endoscopia Digestiva no Real Hospital Português.

Devido a sua capacidade científica, seu temperamento aglutinador e conciliador, foi presidente de várias Associações Médicas em Pernambuco e no Brasil. Em 1981, foi eleito presidente da Sociedade de Medicina de Pernambuco, tendo sua gestão ocorrido entre 1982/83.

Após nova viagem ao Japão, foi candidato e elegeu-se presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), tendo tomado posse em 29 de agosto de 1984. Estimulou o desenvolvimento desta especialidade, promovendo atividades científicas por todo o país.

Em 1986, foi eleito presidente do Cremepe, tendo sua gestão ocorrido entre 1986/88. Em 1988, candidatou-se e foi aprovado para a Academia Pernambucana de Medicina com o trabalho: Pesquisas em seres humanos: aspectos éticos e normatização, ocupando a cadeira de número 38.

Em virtude de suas intensas atividades científicas na Gastroenterologia e na Endoscopia, em 1990, foi convidado para trabalhar no Serviço de Endoscopia do HC-UFPE. Nesta ocasião, estabeleceu um forte vínculo entre a UFPE e o governo japonês, tendo resultado na criação do Centro de Pesquisas Clínicas LIKA. Em 1993, após concurso, tornou-se Professor Titular da Disciplina da Gastroenterologia do Departamento de Medicina Clínica da UFPE.

Em 2000, foi designado pelo Reitor para exercer o cargo de diretor Técnico do HC-UFPE. Neste mesmo ano, foi eleito presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), tendo tomado posse em agosto de 2002. Desenvolveu diversas atividades científicas por todo o país, incluindo encontros, cursos e congressos.

Durante todos estes anos de atividades profissionais, proferiu diversas palestras e conferências, apresentou diversos trabalhos em congressos brasileiros e internacionais, como também publicou diversos artigos científicos em periódicos nacionais e internacionais.

O professor Fernando Cordeiro, depois de uma vida profissional muito intensa como médico e docente, e certamente muito feliz como ser humano, um verdadeiro gentleman, aos 82 anos, concluiu sua jornada no dia 23 de abril de 2021.

Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Manhã na Clube: entrevistas com Décio Padilha, Adriana Barros e Roseana Diniz
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco