Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Opinião
Prêmios da Cepe. Revelações

Raimundo Carrero
Escritor e jornalista

Publicado em: 09/03/2020 03:00 Atualizado em: 09/03/2020 11:08

Estou chegando atrasado, eu sei, não precisa lembrar. Mas dizem por aí antes tarde do que nunca. Por isso, estou aqui. Sempre. Falando para o mundo. Há dias, nem sei quantos, saiu o resultado do Concurso Nacional de Literatura da Cepe – Companhia Editora de Pernambuco -, do Governo Paulo Câmara. São novos escritores, prontos a ocupar espaço na literatura brasileira, com grandes obras. São eles:  Romance - Vanessa Molnar com A Importância dos Telhados; Poesia -  Zulmira Alves Correia, com Cartas de Maria; Contos -  Emir Rossoni, com Erros, Errantes e Afins; e Infantil - Viviane Ferreira Santiago, com A Biblioteca de Bia.

Vanessa Molnar é de São Paulo, nascida em Santo André. Seu livro conta a história de uma professora aposentada que se descobre com um câncer e passa a rememorar toda a vida. Concede um espaço especial à crise do Brasil contemporâneo e assim torna a narrativa mais viva, de forma e enfeitiçar o leitor. Uma promessa de grande literatura, escrita por uma pessoa que se dedica às letras desde muito cedo, embora tenha se decidido somente agora a publicações.

Viviane Ferreira decidiu-se pelo tema do seu livro depois de dedicar um tempo quase integral à literatura. Tinha consciência de que precisava amadurecer para obter melhores resultados. Acertou e agora vence o concurso com A Biblioteca de Bia. Ao lado de Vanessa, apresenta-se como uma verdadeira revelação.

Aliás, este é o  propósito da Cepe, que deixou de ser uma mera gráfica, para se transformar numa das maiores editoras do país. Além do concurso anual, a editora também tem um rigoroso programa de edições que passa pelo crivo de um exigente Conselho Editorial, presidido pelo escritor Sidney Rocha, com representantes dos escritores (Lula Arraes), da Imprensa (Marcelo Pereira), dos professores (Brenda Carlos e Haidée Camelo) e cultura popular (Alice Amorim).

Destaque-se, também, a ação jornalística da Cepe, com a publicação da Revista Continente, dirigida por Adriana Dória Matos, e do Suplemento Pernambuco, editada por Schineider Carpeggiani, que também criou o selo com o mesmo nome do jornal, responsável pela publicação de obras decisivas da literatura brasileira.

É claro que não se pode esquecer aqui a diretoria da empresa, sobretudo o presidente Ricardo Leitão e o diretor industrial Ricardo Mello, responsáveis por esta revolução editorial, passando pelo atual editor, o jovem Diogo Guedes, e até mesmo pelo ex-editor Welington Melo, responsável pela afirmação gráfica.

Mais lidas

mais lidas

Barrados na quarentena   o drama de quem não pode ficar em casa durante a pandemia
Resumo da semana: amor na pandemia, confinamento rastreado e mortes por Covid-19 em Pernambuco
Coronavírus: Como fica a distribuição de merendas na rede municipal do Recife
#FicaemcasacomODiario: Igor de Carvalho
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco