Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Opinião
Galo da Madrugada colabora com entidades carentes

Giovanni Mastroianni
Advogado, administrador e jornalista

Publicado em: 19/02/2020 03:00 Atualizado em: 19/02/2020 09:04

Sem quaisquer contestações, é sabido ser o Galo da Madrugada, agremiação que desfila, todos os anos, no sábado de carnaval, pelas principais ruas do Centro do Recife, o maior bloco  carnavalesco do mundo. Comprova essa assertiva o Guinness Book of Records - o livro dos recordes -, editado anualmente, revelando feitos que superam em quantidade outros do mesmo gênero. Porém, o que muitos não sabem é que esse clube, criado há mais de 40 anos, além de divertir os foliões, em grande parte turistas, tem, também, entre suas finalidades, conforme preceituam seus estatutos, a filantropia e que essa atitude de assistência aos necessitados, atende várias entidades beneficentes da capital do estado.

Entre as instituições beneficiadas pelo Galo da Madrugada estão o GAC – Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer, a APAF – Associação Pernambucana de Apoio aos Doentes de Fígado e a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco – Hemope. Esta entidade é beneficiada através de um mutirão de doadores de sangue, constituído por dirigentes e outros integrantes da agremiação, uma semana antes do famoso desfile.

Uma das modalidades de arrecadação em prol da agremiação carnavalesca, além da venda de ingressos aos seus camarotes, é a vendagem de suas famosas camisas. Da renda dessa promoção uma parcela de cada camiseta vendida é destinada ao GAC, ação social que tem como mentora e sua presidente a médica Vera Morais, pediatra e oncologista, que assiste as crianças com câncer, no CEONHPE, do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, onde são atendidas, em ambulatório, diariamente, cerca de 70 crianças portadoras de câncer, além daquelas que necessitam de internamento.

Antes de citar a APAF como uma das entidades que mantém parceria com o Galo, consultei o cirurgião e hepatologista Cláudio Lacerda, seu presidente emérito, a fim de que ratificasse haver sido renovado, este ano, o compromisso da agremiação  em doar uma parcela da venda do uniforme do mais famoso clube carnavalesco, obtendo dele a seguinte confirmação: “Sim, teremos participação na venda das camisas.” E acrescentou: “Acho excelente a ideia de escrever sobre a grandeza do Galo, também na ação social. E da sua lavra, certamente, terá muito peso.” Agradeço a generosidade das palavras daquele que, nestes últimos 20 anos, salvou centenas de vidas, realizando com sua equipe médica mais de 1.300 transplantes de fígado, mas, registrar atitudes de benemerência, julgo ser mais do que um dever. Para mim, indubitavelmente, verdadeira obrigação.

Mais lidas

mais lidas

De 1 a 5: discos da música brasileira para ouvir na quarentena
Barrados na quarentena   o drama de quem não pode ficar em casa durante a pandemia
Resumo da semana: amor na pandemia, confinamento rastreado e mortes por Covid-19 em Pernambuco
Coronavírus: Como fica a distribuição de merendas na rede municipal do Recife
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco