Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Festa para uma pernambucana

Luzilá Gonçalves Ferreira
Doutora em Letras pela Universidade de Paris VII e membro da Academia Pernambucana de Letras

Publicado em: 29/10/2019 03:00 Atualizado em: 29/10/2019 09:03

A vida tem estado tão destrambelhada para tanta gente – e falo a nível local e no resto do mundo, que se chega a se perguntar que danada de maldição – se é que – vem caindo por todas as partes do planeta, guerras e rumores de guerra como no Apocalipse, mares descongelando-se, bichos morrendo e por nossa causa – não posso esquecer imagens de fogo, os rios fervendo os peixes flutuando como numa imagem que vi outro dia, e os rostos das crianças correndo de bombas, sem entender nada e é como se fossem minhas netinhas que corressem do horror. Senhor, até quando? De modo que, se há uma brechinha para respirar, festejemos sim, algum momento de se poder comemorar alguma coisa boa, que acontecerá, como no cântico sagrado. E ontem foi isso aí, a linda festa com que saudou a Academia Pernambucana de Letras, a posse de mais uma sócia, no caso a pernambucaníssima Elyanna Caldas Silveira. Que é responsável, há mais de quatro anos pela organização de cerca de 200 tardes de concertos nos domínios da Academia; e não apenas concertos, mas encontros sobre Educação musical de altíssimo nível, oferecidos gratuitamente por artistas de passagem para os quais Margarida Cantarelli abre as portas da casa, ou artistas locais que nem sempre têm um espaço como o da APL para se apresentar em quartetos, duetos, pequenos grupos de pesquisa, espaço não tão vasto nem suntuoso como o Santa Isabel nem tão exíguo quanto uma sala de galeria, por exemplo. Ellyana entra para a Academia na trilha de outros dois grandes músicos, Layette Lemos e Waldemar de Oliveira e promete continuar na ajuda a essas ocasiões dominicais de alegria. E lembro a menina que meu irmão, Lupercio levou a conhecer – tão magrinha e pequena quanto eu. E concertos nos recitais que minhas concunhadas as irmãs Nobre de Almeida organizavam todos os anos, eu maravilhada e só não invejosa por que nunca soube o que isso é. E depois os prêmios internacionais de Elyanna e o trabalho que realiza em favor de nossa música. Pernambucana. Que bons ventos continuem a soprar sobre sua vida, querida Ellyana. E que continue a ser essa pernambucana que a todas nós mulheres enobrece. Um beijo.

Destaques da semana: caso Miguel, Decotelli fora do MEC e retorno do Campeonato Pernambucano vetado
Inscrições para o Vestibular 2020.2 da Unicap vão até 15 de julho
Um mês sem Miguel : tudo que fazia era por ele, diz Mirtes
03/07 Manhã na Clube com Rhaldney Santos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco