Apoiar é preciso

Malude Maciel
Cadeira 15 da ACACCIL

Publicado em: 04/10/2019 03:00 Atualizado em: 04/10/2019 06:34

Tive a oportunidade de visitar uma entidade dedicada ao atendimento de pessoas deficientes na cidade de Caruaru e isso foi uma grata satisfação porque muitas vezes a gente apenas “ouve o galo cantar, mas, não sabe aonde”. E, embora se tome conhecimento de um trabalho bonito e até mesmo passemos a colaborar de uma forma ou de outra, ninguém ama o que não conhece.

A Associação de Pessoas com Deficiências de Caruaru – APODEC, situada à Rua Sérgio Coelho, 42, no bairro do Cedro foi fundada há mais de vinte anos (13.11.1995) por Rosemary Maria da Silva que, ficou paraplégica após um acidente e achou por bem não chorar o leite derramado, mas partir para conquistas antes sonhadas, mas nunca concretizadas. Sabendo que inúmeros indivíduos têm o mesmo problema resolveu procurar soluções a fim de que portadores de quaisquer deficiências fossem acolhidos com dignidade havendo um determinado local onde eles pudessem contar com toda espécie de apoio. A luta foi enorme, porém atualmente, embora ainda existam muitas melhorias a conquistar e serem reivindicadas vem funcionando bem, com serviços em odontologia, psicologia, advocacia, ginástica, gastronomia, assistência social, etc.

Outra notícia que também me alegrou foi a de que existe no Recife a Associação dos Cegos que é única em todo o Estado. Pouca gente sabe, mas já funciona há 92 anos, quase um século. É a ASSOBECER onde quem não possui a visão pode receber tratamento e ter atividades compatíveis com sua deficiência melhorando a condição de vida. Ali os residentes e circulantes são recebidos com carinho e têm acesso a orientação e mobilidade, terapia ocupacional e aprendizado em “Braile”. O objetivo é tirar o cego do ostracismo levando-o a participar da sociedade. Muitos dos assistidos estudam e outros já são formados e possuem uma profissão.

Alguns são do interior e ficam com direito ao café, almoço, janta, lanches, dormida, roupa lavada e demais benefícios que a estrutura oferece, como aulas de música e informática.  

É gratificante tomar conhecimento dessas poderosas ajudas que muitos necessitam, pois o que todos desejam é serem reconhecidos entre os demais.

Ambas as instituições dependem do voluntariado, da boa vontade de gente do BEM que altruisticamente se incomoda com situações alheias e dar sua contribuição.  

Fica o convite para visitas. Números para contatos: Apodec – 3722-9083  e Assobecer – 3428-2538.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.