Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Opinião
A lingerie e o VDFTP

Ricardo Leitão
Presidente da Cepe
opiniao.pe@diariodepernambuco.com.br

Publicado em: 23/08/2019 03:00 Atualizado em: 23/08/2019 11:15

O deslumbramento é uma delícia. Mimoseada com um conjunto de peças íntimas presenteado por loja de lingerie, a primeira-dama fotografou-as e as publicou nas redes sociais. Foi um estrondoso sucesso de audiência. Milhões curtiram e compartilharam com entusiasmo as cintas e outros delicados apetrechos da prezada senhora.

Até aqui não são conhecidas as reações, no âmago do lar, de Sua Excelência, o Viril Defensor da Tradição, da Família e da Propriedade, mais conhecido como VDTFP (pronuncia-se vê, dê, tê, fê, pê). Talvez porque seja mais urgente, em sua sobrecarregada agenda, tratar de outras questões de fundo, como a proposta de se defecar dia sim, dia não, como uma das soluções para se mitigar impactos ambientais.

Neste caso, o desafio reside em como fiscalizar o cumprimento do escatológico rodízio. O uso de câmeras foi descartado, diante dos custos e do risco de hackers invadirem a rede e distribuírem as imagens. Prudente, VDTFP organizou um grupo de trabalho que terá três meses para apontar uma solução.

Alguma solução haverá. Ninguém duvida da onisciência e da onipotência do Vosso Líder. Por exemplo: se lhe aprouver, determinará, valendo-se do seu democrático arbítrio, que os seus pares exibam as próprias peças íntimas nas redes sociais, replicando alegremente o gesto ousado e inovador da primeira-dama.

Os desobedientes arrostarão punições. A mais branda será submeter as linhas das mãos à leitura do astrólogo Olavo de Carvalho, durante 87 noites seguidas. A mais grave, contabilizar quantas vezes, desde janeiro passado, VDTFP afirmou ok, ok, ok. Um desafio tão grande quanto se sufocar em uma cinta elástica, com 15 quilos de excesso de peso.

Ainda assim, alguns suportarão a prova, vencerão o duro teste e ganharão merecidos prêmios. Para o terceiro lugar, o posto de embaixador na capital do Afeganistão, Cabul, com a responsabilidade de abrir negociações com o Talebã; para o segundo colocado, a embaixada na capital da Síria, Damasco, à frente da missão de promover a paz entre curdos, sírios, russos, iraquianos e milicianos radicais islâmicos; para o vencedor, a embaixada em Washington, capital dos Estados Unidos, desde que comprove parentesco em quarto grau com o terceiro primo em segundo grau do VDTFP.

Alguma dúvida sobre a justiça dos critérios do Vosso Líder, mesmo quando envolvido em reflexões escatológicas? Alguma dúvida sobre o valor superior da Nova Política, pedra de toque da gloriosa e fulgurante missão do VDTFP? Só os que renegam o amor à Pátria, os que não vertem lágrimas diante do verde-louro do nosso estendal alimentam dúvidas, cevadas pelo mais solerte sovietismo.

Solerte, traiçoeiro e insidioso, infiltrado nas falsas versões de que novamente mergulhamos em uma recessão; temos 12,8 milhões de desempregados; derrubamos florestas e matamos índios; que os índices de educação, saúde e segurança são uma vergonha e que as peças íntimas publicadas nas redes sociais não são nacionais e sim importadas da França – com o objetivo de enfraquecer nossa indústria.

Para esses adeptos do sovietismo, VDTFP só tem o desdém dos que são superiores e a certeza de que a História o colocará ombreado aos grandes, como Átila e Calígula. O horizonte que se abre à frente é tão resplandecente quanto o sol de verão na Noruega. O céu que nos encobre é tão brilhante quanto o do entardecer brumoso em São Paulo. Ok?  Entendeu?

Obs. Este é um texto de ficção. Qualquer coincidência com fatos reais terá sido algo surreal.

Lula: sou um homem melhor do que aquele que entrou na cadeia
Resenha SuperEsportes: o quase do Sport, sub-20 do Santa e eleições no Náutico
De 1 a 5: artistas que trabalham com barro
Sobe, Lia, sobe.
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco