Violência contra a mulher: o acolhimento necessário

Isabela Coutinho
Diretora geral do Hospital da Mulher do Recife

Publicado em: 17/07/2019 03:00 Atualizado em: 17/07/2019 10:34

O mês de julho marca o aniversário de três anos do Centro de Atenção à Mulher Vítima de Violência – Sony Santos. O centro funciona no Hospital da Mulher do Recife, no Curado, e atende vítimas de violência, seja física, sexual ou psicológica. O serviço veio para fortalecer a política pública de enfrentamento à violência contra as mulheres, uma das pautas prioritárias do prefeito Geraldo Julio.  Aberto 24 horas por dias, o Sony Santos recebe pacientes a partir dos 10 anos de idade, não sendo necessário encaminhamento ou agendamento prévio. Basta chegar. A exemplo de outros serviços oferecidos pelo Hospital, a criação do Centro aconteceu a partir de uma demanda existente e de uma ampla discussão com entidades representativas da sociedade civil, em consonância com a esfera pública.

Neste sentido, houve entendimento e consenso que era preciso reunir em um único local um atendimento integrado, possibilitando assim uma assistência diferenciada para a vítima de violência. No Centro, além de uma equipe multiprofissional (médico, psicólogo, enfermeiro e assistente social), a mulher tem à disposição o registro policial, se ela desejar; e a perícia do legista, caso necessário. Assim, ela não precisa ficar se deslocando, primeiro para a delegacia, depois para o IML e, por fim, para uma unidade de saúde. Ao percorrer tantos caminhos, segundo os especialistas, muitas mulheres acabam desistindo da denúncia, o que leva à impunidade do agressor e perpetua a violência. No Sony Santos, o atendimento se concentra em um único espaço.

Por esse motivo, o Centro se tornou um modelo único no País, exaltado por pessoas como a farmacêutica Maria da Penha, cuja lei que leva o seu nome representou um marco no combate à violência doméstica no Brasil. Em 2017, ao visitar o Centro, Maria da Penha considerou o Sony Santos um exemplo a ser seguido em todo o País. Para além de uma estrutura física e de pessoal, o espaço tem uma equipe acolhedora, humanizada e com a missão de cuidar, apoiar e fortalecer essa mulher para que ela possa superar todos os traumas gerados pela violência.

Esse tratamento respeitoso faz parte da filosofia da humanização que está na essência do Hospital da Mulher, um equipamento da Prefeitura do Recife sob administração do HCP Gestão, organização social de saúde do Hospital de Câncer de Pernambuco. Vale ressaltar que a integração entre os serviços é resultado de uma parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde do município, e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Defesa Social. As Secretarias da Mulher, do Estado e da Prefeitura, também participam, com outros serviços, no apoio e atendimento à mulher vítima de violência, além da divulgação e encaminhamento para o Sony Santos.

Tratar gente como gente, respeitando as suas necessidades, individualidades e autonomia, é uma das missões do Hospital da Mulher do Recife, que tem honra de ter entre os seus serviços, o Centro de Atenção à Mulher Vítima de Violência – Sony Santos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.