A importância do planejamento na infraestrutura

Fernandha Batista
Engenheira civil e secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco

Publicado em: 11/07/2019 03:00 Atualizado em: 11/07/2019 09:29

Repleto de diversidades, o estado de Pernambuco se configura como desejado destino proveniente dos encantos consolidados quanto às riquezas culturais, belezas naturais, gastronomia irresistível, além da hospitalidade que tanto lhe é peculiar. E a infraestrutura local - de saneamento, transportes rodoviário e aéreo -  assume papel de grande relevância na crescente busca pela atratividade de pessoas, seja com viés de negócios, lazer ou moradia permanente.

Pensar no conjunto dessa infraestrutura vai muito além de planejar ações cotidianas de serviços corretivos. Os desafios são muitos: elaborar planos alcançáveis de curto, médio e longo prazos; expandir a visão e ouvir a população; padronizar e pulverizar ações voltadas ao crescimento regional, respeitando as nuances de cada localidade; aprimorar a integração; apoiar no desenvolvimento de potenciais polos produtivos ou turísticos. É também uma fase de repensar forma e conteúdo e dedicar uma atenção especial ao planejamento efetivo visando a concretização das ações, com foco na melhoria da qualidade da prestação dos serviços e no encaminhamento para uma infraestrutura que dialoga com um futuro sustentável.

Discussões intensas e recentes debruçadas sobre o Programa de Reestruturação Viária ‘Caminhos de Pernambuco’- lançado em maio-, da atualização do Plano Estadual de Recursos Hídricos, e do Plano de Expansão, Regularização e Desenvolvimento Aéreo no Estado de Pernambuco, trazem necessariamente integração entre pastas que estão à frente do fomento do desenvolvimento econômico, urbano, turístico e agrário, tendo como pressuposto a garantia gradativa da infraestrutura adequada. Para cada um (plano), há de se considerar três pontos importantes: a melhoria da qualidade de vida dos pernambucanos; a garantia do respeito às leis, em consonância com a luta contra a burocracia exacerbada; e a limitação orçamentária e financeira que trazem como desafio a busca pela inovação das fontes financiadoras alternativas e legais.

Desta forma, o foco principal é que esse grande estado continue a se desenvolver, e que a população - permanente ou visitante - possa se beneficiar do círculo virtuoso do planejamento da infraestrutura local, que representa um ato estratégico e propulsor do desenvolvimento econômico e social pretendido.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.