Diario de Pernambuco
Busca

RELAÇÕES EXTERIORES

Rússia e EUA estudam a troca de prisioneiros

Publicado em: 29/07/2022 13:45

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, demonstrou estar aberto a negociações para discutir uma possível troca de prisioneiros com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken. Lavrov disse que já recebeu um pedido formal dos EUA para contatos diretos após Blinken ter declarado na quarta-feira (27) que Washington propôs a Moscou um acordo que prevê a volta da jogadora de basquetebol norte-americana Brittney Griner e também do executivo Paul Whelan, condenado a 16 anos de prisão na Rússia sob acusação de espionagem, em 2020, pelo traficante de armas russo Viktor Bout, que foi condenado em nos EUA. "A data para o contato está a ser discutida. Vou ouvir o que eles têm para dizer", disse o chanceler russo.
 
Na quinta-feira (28), o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, também comentou que a troca de prisioneiros é o típico tema que deve ser tratado de forma discreta nos bastidores. "Todos sabemos que tais assuntos são discutidos sem que seja difundida informação", disse Peskov numa conferência de imprensa. "Geralmente, o público fica a saber do que se passa quando os acordos já foram implementados", acrescentou.
 
As declarações de Blinken marcam a primeira iniciativa pública por parte dos EUA sobre medidas concretas para a libertação de Griner, de 31 anos, campeã olímpica e membro da equipa Phoenix Mercury que compete na liga norte-americana WBNA. De acordo com as autoridades russas, Griner foi detida no aeroporto de Moscou em fevereiro com a posse de frascos com óleo de canábis. A prisão da esportista aconteceu em meio ao agravamento das relações entre Washington e Moscou devido a invasão da Ucrânia.
 
Após cinco meses da prisão, o julgamento de Griner teve inicio este mês em território russo e a campeã olímpica core o isco de uma pena de dez anos. Ela afirmou no tribunal que não sabe como os frascos com óleo de canábis surgiram na própria bagagem, no entanto, revelou que tem uma receita médica que lhe permite o uso de canábis para efeitos de saúde por causa de dores provocadas pelo exercício físico como atleta. A jogadora de basquetebol considerou-se culpada, porém assegurou que não teve qualquer intenção criminosa em fazer entrar o óleo de canábis na Rússia durante a temporada em que devia jogar na liga de basquetebol da Rússia.
 
A Administração norte-americana vem sendo alvo de fortes pressões nos Estados Unidos para conseguir a libertação de Griner, assim como de outros cidadãos norte-americanos que estão "erradamente detidos" na Rússia. Por outro lado, a classificação "erradamente detidos" tem sido recusada veementemente pelas autoridades russas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários